Início | Marketing de Conteúdo | Os novos agentes do Marketing

Marketing de Conteúdo

Os novos agentes do Marketing

André Teixeira

Publicado em 06/04/2017 às 12:25

Eu adoro cinema !!!!  Cresci vendo os filmes da década de 80 e 90. Queria saber atirar que nem o Rambo e tocar guitarra como o Marty McFly. Tinha um chapéu (que estava mais pra cangaceiro) e me achava o Indiana Jones. Atire a primeira pedra quem nunca sonhou em sair de mini moto pela cidade, ouvindo You Could Be Mine no talo, e topar com o Exterminador numa Harley com uma doze na mão (pra ser sincero esse devaneio eu tenho até hoje).


Porém, eu gostava – e gosto – mesmo é dos filmes de polícia, do FBI, da CIA, dessa galera. Investigadores em geral. Acho que eles são mais gente da gente, sabe? Sempre assisti, desde Seven até Hannibal (a série). Gosto desses caras.   O clímax dessas aventuras, sempre foi quando a agente de terninho e cabelo preso do FBI, falava, após um rompante súbito de inteligência (ou no meio de uma bebedeira mesmo), a famosa frase “Encontrei um PADRÃO aqui”. Daí em diante a vida do assassino entrava em contagem regressiva.   “Encontrei o PADRÃO aqui”. O tal Padrão. 

Logo eu, que cresci esperando o “Encontrei o Padrão” na vida fictícia, hoje na vida real escrevo, trabalho e divago sobre “Quebrar o Padrão”, sobre ruptura.   Essa coluna basicamente fala disso: Ruptura! Nesse espaço o “mas isso sempre foi feito assim” não existe. Por um simples motivo: as gerações mudaram, as pessoas mudaram.   As novas gerações estão mudando drasticamente seus “padrões” de consumo. São pessoas que não querem ter mais nada, além de experiências.   E como nós, profissionais de marketing e vendas, podemos nos preparar para nos relacionarmos com o comportamento diferente dessa garotada que consome e compartilha tudo?   Que a agente do FBI me perdoe mas, no nosso caso, não existem mais padrões. O profissional de marketing e vendas hoje precisa entender de Modelos de Negócios.   Entender os Modelos de Negócios, independente do mercado ou do produto que o profissional “sempre trabalhou”. As experiências se complementam, não se anulam. Uma prática do mercado de cimento pode ser usada no mercado de infra de TI. Por que não? Só depende da capacidade do profissional de ler a situação, de entender o mercado e o produto. Desenvolver o feeling da barganha. Sempre ter ouvidos nos departamentos de logística, importação, financeiro, etc. Dominar os conceitos básicos e conectá-los com a estratégia geral. Ter a clareza da cadeia de valor, quem é quem na negociação e quais as relações de interdependência entre os players. Enfim, uma infinidade de habilidades obrigatórias para que os novos profissionais entendam não só de marketing, mas de business. De novo, de modelos de negócios.   Estamos chegando num ponto onde cada negociação será diferente da outra, para o mesmo cliente, de um mesmo produto. O desafio de criar essa teia de estratégias é enorme e vai exigir do profissional a capacidade de uma águia de olhar as situações lá do alto, e saber a melhor maneira de dar o bote. Entender de modelos de negócio, é disso que estou falando!   Em geral as empresas ainda não entenderam muito bem essa mudança. Ainda buscam profissionais de marketing com experiências específicas. Em geral ainda não há a investigação necessária sobre o que de novo o profissional pode trazer e qual a capacidade dele de fugir dos padrões. Ainda contratam baseados no passado, não no futuro.... Vamos ver no que vai dar.   Enquanto isso continuo na minha saga infinita de entender os modelos, de estudar mercados, fazer muito benchmarking. Jogar tudo isso no meu liquidificador mental e ir me preparando para um futuro que caminha cada vez mais para a personalização, customização e negociações individuais. Isso sim será marketing one to one.   Modelos de Negócios.... Jason Bourne entendia muito bem dos modelos, e para cada enrascada que se metia arrumava uma maneira de sair. Esse cara não deixa rastros, não cria padrões. Deixa a agente do FBI sem saber o que fazer.   Nossos futuros clientes serão uma legião de Jasons Bourne, fazendo de tudo para nos despistar.   E, nessa hora, que tipo de agente do FBI você vai querer ser ? O que prende o cara e reescreve o final do filme ou o que fica esperando os padrões e fica vendo as escapadas pelas câmeras de segurança de um aeroporto qualquer ? 

André Teixeira feed/rss ver artigos deste(a) colunista

André Teixeira

Music Marketing

André Teixeira é especialista em Vendas, Marketing, Música e Empreendedorismo. Com 15 anos de experiência no mercado de TI desenvolveu inúmeros negócios para fabricantes e canais de varejo e distribuição. Atualmente, une suas duas áreas de conhecimento e atuação (Marketing e Música) para criar oportunidades aos profissionais de tecnologia, unindo os setores corporativo e artístico, através do Music Marketing no Brasil. É consultor e possui know how em projetos de Music Marketing em sua própria startup. Dê sua opinião sobre este artigo ou faça sugestões para nossos colunistas, envie seu e-mail
 

Artigos Relacionados

voltar

Titulo: Os novos agentes do Marketing

Destinatário(s)
Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

Titulo: Os novos agentes do Marketing

Mensagem de Erro

Esta é a área central para comunicação entre revendas, distribuidores e fabricantes com a equipe da PartnerSales.
Incentivamos as mensagens de nossos leitores com sugestões de pautas, críticas, elogios ou reclamações.

Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

© Copyright PartnerSales - O site focado em parcerias de negócios e estratégias de vendas. Todos os direitos reservados. Outros nomes de companhias, produtos e serviços podem ser marcas registradas ou marcas de serviços de outros.

Sydow Marketing