Início | Recursos Humanos | Sucessão: crucial para a continuidade dos negócios

Recursos Humanos

Sucessão: crucial para a continuidade dos negócios

Milene Lopes Schiavo

Publicado em 07/02/2018 às 17:09

Sua empresa tem um programa de sucessão estabelecido?

Muitas organizações se preocupam com diversos fatores que afetam a continuidade dos seus negócios, mas algumas terminam deixando de lado um componente fundamental: a sucessão. Sim, sucessão é um tema que deve estar na pauta sempre. Afinal de contas, o que dará melhor continuidade aos negócios senão os executivos certos conduzindo as estratégias e preservando a perenidade das organizações?

Muitas organizações se preocupam com diversos fatores que afetam a continuidade dos seus negócios, mas algumas terminam deixando de lado um componente fundamental: a sucessão. Sim, sucessão é um tema que deve estar na pauta sempre. Afinal de contas, o que dará melhor continuidade aos negócios senão os executivos certos conduzindo as estratégias e preservando a perenidade das organizações?

Sua empresa tem um programa de sucessão estabelecido? Se a resposta for “sim”, parabéns por ter essa preocupação. Se a resposta for “não”, convido você a pensar sobre isso imediatamente.

Se os negócios hoje são conduzidos por determinados executivos, se algo ocorrer quem ocupa esses lugares? Quem poderá dar continuidade ao que estava sendo feito pelo antecessor? Quem mantém a empresa funcionando? Existem profissionais preparados e/ou sendo desenvolvidos para assumir essas cadeiras e desafios?

Um programa de sucessão deve ser capaz de fazer um bom diagnóstico da organização e estruturar ações, considerando:

 

1 -  identificação das posições críticas para a continuidade e sucesso organizacional (quais funções são essenciais para o negócio e que sua empresa não pode correr o risco de ficar sem?);

2 - probabilidade de executivos, que ocupam essas posições críticas, deixarem a organização no curto/médio prazo (qual o nível de engajamento dos executivos à organização? Como está a satisfação destes executivos com o trabalho e a empresa? Existe interesse da empresa em manter tais profissionais? Percebe algum movimento de executivos sondando o mercado/procurando novas oportunidades de trabalho?);

3 – identificação das competências necessárias para o negócio (quais conhecimentos/habilidades/atitudes os executivos da organização devem ter para que sejam capazes de conduzir a empresa ao caminho desejado?);

4 – análise de aderência dos executivos atuais com relação às competências (os profissionais que estão na estrutura organizacional atual correspondem ao que se quer e precisa frente às competências críticas do negócio?);

5 – identificação de talentos potenciais (a empresa avalia os profissionais de níveis mais baixos, buscando identificar quem teria prontidão para assumir mais desafios no curto, médio e longo prazo?);

6 - plano de desenvolvimento dos profissionais (é ofertado um programa de desenvolvimento da liderança, considerando os executivos que ocupam hoje as posições críticas e os talentos potenciais? Se no mapeamento das competências é identificado que existem lacunas de conhecimentos, habilidades e atitudes, o que os executivos precisam aprender/desenvolver? Se alguns profissionais são identificados como potenciais para assumir cadeiras executivas no futuro, qual o grau de aderência? O quão longe ou perto eles estão? Precisam de desenvolvimento?);

7 – mapeamento de profissionais (se existe alguma probabilidade de perder executivos ou se faltam profissionais preparados para as posições críticas no curto prazo, é necessário começar um mapeamento, tanto internamente, como no mercado, visando identificar possíveis perfis que atendam aos requisitos necessários e que possam ocupar as posições críticas com elevado grau de aderência, tanto à função técnica, quanto às demais competências necessárias).

No cenário de competitividade global em que vivemos, ter os executivos certos liderando os negócios é um diferencial para todas as organizações. Não ter um programa de sucessão significa um risco elevado e que pode afetar diretamente a sustentabilidade do negócio.

Para quem já tem um programa de sucessão, espero que possa dar continuidade e melhorar ainda mais. Para quem não tem, sugiro olhar para isso imediatamente e acelerar a implantação do seu.  Boa sorte!


Milene Lopes Schiavo feed/rss ver artigos deste(a) colunista

Milene Lopes Schiavo

Recursos Humanos

Administradora de empresas e publicitária, pós-graduada em Marketing pela ESPM e em Recursos Humanos pela FAAP. Atuou por dez anos no mercado de distribuição de TI em posições executivas nas áreas de Marketing e Recursos Humanos. Atualmente trabalha em uma consultoria global de gestão estratégica do capital humano.
 

Artigos Relacionados

voltar

Titulo: Sucessão: crucial para a continuidade dos negócios

Destinatário(s)
Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

Titulo: Sucessão: crucial para a continuidade dos negócios

Mensagem de Erro

Esta é a área central para comunicação entre revendas, distribuidores e fabricantes com a equipe da PartnerSales.
Incentivamos as mensagens de nossos leitores com sugestões de pautas, críticas, elogios ou reclamações.

Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

© Copyright PartnerSales - O site focado em parcerias de negócios e estratégias de vendas. Todos os direitos reservados. Outros nomes de companhias, produtos e serviços podem ser marcas registradas ou marcas de serviços de outros.

Sydow Marketing