PartnerSales

Imprimir

Marketing

A busca pelo conforto

Marco Antonio Pereira

Publicado em 07/03/2012 às 17:09

Iniciamos mais um ano e depois de um 2011 com ótimos resultados, fica o desafio do crescimento sobre um ano vitorioso. Talvez alguns de vocês pensem de que forma isto pode ser feito: crescimento sobre crescimento. Vitória sobre vitória. Buscando na nossa história recente lembrei do técnico de vôlei da seleção brasileira, Bernardinho, que incansavelmente atinge resultados espetaculares após conquistas importantes. Fui pesquisar um pouco para entender o que ele faz de diferente!

Lendo seu livro, “Transformando suor em ouro”, que recomendo, encontrei diversas passagens interessantes, desde os tempos do início de sua carreira, passando pela época como jogador da seleção brasileira, onde era reserva do talentoso William, até os tempos atuais.

Aliás, ele conta em uma de suas entrevistas que, por ser economista e por ficar tanto tempo na reserva do William, ficou bom mesmo foi de “banco”! O livro narra seus anos de história frente a primeira experiência como técnico em um time feminino da Itália, chegando ao presente, liderando a seleção masculina. Diversas passagens são interessantes, mas o livro me chamou a atenção sob dois aspectos: no treinamento incansável dos fundamentos do esporte e como ele lida com o emocional dos seus jogadores impondo sempre novos desafios, conquista após conquista. Obviamente temos diversas analogias com os nossos negócios.

Na questão dos fundamentos do esporte, fiquei intrigado com uma reportagem que li em um jornal de São Paulo onde ele afirmava que trabalharia naquela semana com seus jogadores os fundamentos do vôlei: saque, defesa, ataque, bloqueio entre outros.

Mas por que trabalhar fundamentos com jogadores que já são “experts” em cada um destes pontos? Se fossemos falar em fundamentos para iniciantes, a resposta seria fácil, mas trabalhar nestes aspectos com Giba, Serginho, Bruninho, que já são “experts” em suas áreas, o que temos a ganhar? O que eles podem melhorar?

No aspecto emocional, entendo que o trabalho mais difícil está em criar novos desafios após cada conquista. O técnico descreve com muita sabedoria a questão do princípio do desconforto. Uma frase do livro define bem este tema: “devemos criar zonas de desconforto para afugentar a armadilha do sucesso e testar o comprometimento dos vitoriosos!”. O que vem a ser este tal de desconforto?

Apesar da palavra ser de rápido entendimento, a falta de conforto faz com que as pessoas se mexam! Que as empresas se movam!

No livro ele narra mudanças nos horários dos treinos, agendamento de atividades entre um voo e outro, ou seja, buscando sempre algo mais, para mexer com o cotidiano dos atletas.

Mas o que isto tem a ver com o nosso negócio? Respondo: tudo!

Com relação aos fundamentos, faço uma analogia aos pilares dos nossos negócios. Muitas vezes temos a impressão de que já dominamos tudo, mas na verdade precisamos repassar cada fundamento objetivando melhorias no nosso cotidiano.

Com relação à zona de desconforto, o fato é que quando estamos em desconforto, nos movimentamos, evoluímos e nos readaptamos. Se temos um sonho e queremos transformá-lo em realidade, isto requererá um esforço extra, um algo “a mais”! Desta forma, pergunto a vocês: qual sua próxima zona de desconforto?

Um dia ouvi que objetivos são sonhos com data de vencimento. Sendo assim, coloque data em seus sonhos e mãos à obra!

Um excelente 2012 a todos!