2020 não será esquecido. Seja pela pandemia do Coronavírus, seja pela radical mudança que isso trouxe para a vida das pessoas ou, ainda, por um contexto completamente imprevisto que está deixando muitas organizações desestabilizadas.  Todas as empresas e suas lideranças estão voltadas a como lidar com a crise e com os desdobramentos dela que estão por vir.Neste momento será fundamental que o líder de Recursos Humanos e sua equipe estejam preparados para orquestrar todos os movimentos organizacionais que serão necessários para o hoje, e para o amanhã. 

Convido, então, as equipes de RH e seus Líderes, que assumam com coragem, resiliência e agilidade o papel de “maestro” da orquestra organizacional, direcionando os líderes e respectivas equipes, apoiando as áreas e as pessoas, participando ativamente das discussões sobre o futuro dos negócios e propondo soluções e alternativas que visem o cuidado com os colaboradores, assim como o futuro organizacional. 

Iniciando pela alta liderança, será fundamental que o RH apoie o comitê executivo no seu alinhamento e direcionamento. Definição da estratégia diante do cenário, governança da gestão de crise, formatação dos planos de curto e médio prazo, análise de possíveis cenários (mais otimistas e mais realistas) que serão desdobrados em ações. 

Demais líderes devem ser envolvidos e preparados. Mais do que nunca a organização precisa contar com líderes que sejam capazes de gerir pessoas, projetos e negócios com agilidade, mentalidade estratégica, empatia, inspiração, inteligência emocional e coragem. Se vocês pensaram em parar suas ações de desenvolvimento de liderança, minha dica é: não pare e sim acelere! 

A comunicação é um elemento essencial. Será oportuno usar todos os canais disponíveis para gerar comunicações frequentes e transparentes com os colaboradores. Precisamos envolvê-los e fazer com que se sintam acolhidos e orientados. Assegurem a comunicação corporativa, mas também, a comunicação dos líderes com suas equipes. Mais do que nunca os profissionais e os times precisam sentir que podem contar com o apoio do seu gestor imediato.  E como a crise pode trazer impactos financeiros ao negócio, será fundamental, também, antecipar análises de reduções de custo, avaliando os prós e contras de cada oportunidade e refletindo sobre o impacto que cada decisão trará para os colaboradores e a continuidade do negócio. 

E, caso a empresa tenha que tomar decisões de corte de pessoal, se o processo de Gestão de Desempenho da empresa estiver estruturado, e em dia, as decisões poderão ser tomadas com base nas avaliações de desempenho, por meio de critérios objetivos. 

Como essa crise é de todos, os líderes e profissionais das equipes de RH podem se juntar a colegas da área de outras empresas para que possam trocar informações e fazer benchmarking de como estão lidando com a crise. Aproveitem o momento para fazer boas parcerias. 

Caso precisem de orientação e inspiração, já existem muitos materiais disponíveis, divulgados pelas grandes Consultorias, que orientam líderes e empresas neste momento complexo e inesperado. Vocês podem buscar esses conteúdos nos sites das empresas Korn Ferry, Deloitte, McKinsey e BCG. 

Não serão tempos fáceis, disso já sabemos. Mas será melhor agir e reagir de forma proativa o quanto antes. E como tenho ouvido de muita gente que “parece que estamos num filme”, vamos aproveitar essa oportunidade ímpar para que a área de RH atue como protagonista! 

Milene Lopes Schiavo

Milene Lopes Schiavo

Administradora de empresas e publicitária, pós-graduada em Marketing pela ESPM e em Recursos Humanos pela FAAP. Atuou por dez anos no mercado de distribuição de TI em posições executivas nas áreas de Marketing e Recursos Humanos. Atualmente trabalha em uma consultoria global de gestão estratégica do capital humano.