Aruba anuncia as previsões para 2020 diante da transformação digital
Entre as tendências previstas para o próximo ano, está o crescimento de tecnologias baseadas em Inteligência Artificial e grandes investimentos em segurança

Para a Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise, 2020 será um ano decisivo para as empresas que utilizam a tecnologia para transformar e personalizar experiências, oferecer melhores resultados nos negócios e impulsionar operações com extrema eficiência na borda, onde estão localizados os stakeholders de determinada empresa, como clientes, parceiros e fornecedores. 
 “O crescimento explosivo dos dispositivos IoT estabeleceu novas arquiteturas de borda à nuvem para dar suporte aos locais onde a maioria dos dados do mundo está sendo criada. Essa expansão impulsionará a necessidade de visibilidade e controle avançados de rede para reduzir o risco crescente causado por pela expansão de ataques”, afirma Keerti Melkote, presidente da área de Intelligent Edge da HPE e fundador da Aruba Networks. “Além disso, a automação e a orquestração se tornarão cada vez mais importantes para aprimorar a eficácia dos arsenais de segurança corporativa, melhorar a disponibilidade de aplicativos e redes em toda a empresa e simplificar as operações de TI. A análise baseada em Inteligência Artificial se tornará cada vez mais uma extensão natural da automação, permitindo que as empresas obtenham maiores insights de rede, beneficiando a segurança, disponibilidade e agilidade geral dos negócios”, completa o executivo.
 
As principais previsões da Aruba para  2020 são:
 
Inteligência Artificial e Machine Learning
 
Ascensão da segurança autônoma baseada em Inteligência Artificial
• Em 2020, as tecnologias de segurança cada vez mais autônomas baseadas na IA se tornarão mais proeminentes à medida que tecnologias emergentes, como IoT e aplicativos de computação de borda, exigirão dos especialistas em segurança maneiras mais eficientes de proteger suas organizações.
• No próximo ano, as violações de segurança continuarão afetando organizações de todos os portes e os ataques se tornarão cada vez mais complexos, generalizados e persistentes, geralmente realizados por equipes coordenadas de hackers cada vez mais sofisticados.
 
Gerenciamento de rede passa do modo proativo para o preventivo
• Automação alimentada por IA, maior capacidade de programação e capacidade de agir com base em insights são todos atributos de uma rede moderna. Em 2020, veremos avanços contínuos nas áreas de análise e segurança de dados, entre outros, que permitirão que o processo de gerenciamento de rede passe de proativo para preventivo, reduzindo a carga sobre os gerentes de rede e permitindo que esses profissionais concentrem seus esforços em questões de impacto nos negócios.
• Isso permitirá que as equipes de TI não apenas adotem uma postura proativa, como permitirá que os sistemas prevejam quando ocorrerão problemas com base em padrões diferenciados, monitoramento de comportamento e integridade da rede, atenuando ainda mais a pressão sobre os recursos de TI.
 
Era impulsionada pela nuvem
 
O futuro em containers
• Na era moderna, as redes que exibem características nativas em nuvem - como modularidade, capacidade de programação, elasticidade e resiliência - se tornarão cada vez mais populares.
• Em 2020, as redes nativas em nuvem ajudarão as equipes de DevOps (união das equipes de desenvolvimento e operações) ao ter infraestruturas de switch que interagem com uma GUI (Graphical User Interface, ou Interface Gráfica do Usuário, em português) baseada na nuvem para dar melhor suporte a aplicativos que proliferaram em quase todas as empresas modernas.
• Seja on premises ou na nuvem, a rede deve evoluir para abraçar um futuro armazenado em containers. 
 
Fim dos modelos de software de rede por assinatura
• Ter switches de rede, roteadores e controladores que param de funcionar quando o registro do software termina é prejudicial às empresas.
• Quando os clientes compram equipamentos, desejam toda a propriedade de sua rede, dos recursos e funcionalidades, e não uma bomba-relógio na forma de um contrato de serviços que possa impedir recursos essenciais, funções de segurança e até a própria conectividade.
• Em 2020, surgirão modelos de assinatura com foco no cliente, adaptados às estratégias direcionadas à nuvem, para oferecer valor e tranquilidade.
 
Segurança
 
Protegendo a ampla adoção da Internet das Coisas (IoT)
• Embora o crescente uso de dispositivos IoT esteja fornecendo às organizações novos níveis de dados para tomar decisões inteligentes sobre operações de negócios, elas também podem fornecer uma porta aberta para que agentes mal-intencionados explorem vulnerabilidades. Com mais de 70 bilhões de dispositivos em operação até 2020, de acordo com o Gartner, proteger esses dispositivos e usar análises comportamentais para detectar Indicadores de Compromisso (COI) será indispensável.
 
Integração e orquestração contínua de ferramentas de segurança
• Com empresas usando mais de 130 ferramentas e tecnologias de segurança, em média, em 2020, veremos um aumento no uso de ferramentas de integração e orquestração para aproveitar melhor essas tecnologias para detecção de ameaças e respostas aceleradas.
 
Wireless
 
O wayfinding é apenas o começo
• Em 2020, os serviços de localização continuarão avançando e oferecendo aos usuários experiências mais significativas e personalizadas, convidando-os a se envolver com seu ambiente como nunca.
• Não se tratando apenas de encontrar rotas, os serviços de localização permitirão um novo host de serviços com base em proximidade e preferências, agregando valor tanto ao usuário, na forma de ofertas personalizadas, como ao provedor, com insights sobre seu consumidor.
 
Se você desenvolve, eles virão
• Apesar do alarde, a introdução do Wi-Fi 6 este ano foi recebida com otimismo cauteloso, com céticos citando que o aumento da largura de banda permitida pela tecnologia, apesar de impressionante, não será necessariamente utilizado em breve.
• Como resultado da inovação contínua do Wi-Fi 6, a Aruba prevê que 2020 dará início a uma nova faixa de serviços habilitados que fornecerá o desempenho, a disponibilidade e a qualidade do serviço prometido por tecnologias como 5G.
• O Wi-Fi 6 será o caminho preferencial para o 5G para a maioria dos aplicativos de borda corporativa.
 
SD-WAN
 
Empresas inteiras gerenciadas a partir de uma única tela
• Com todas as unidades de uma empresa distribuída geograficamente gerenciadas a partir de uma única plataforma.
• Com as empresas cada vez mais distribuídas geograficamente, é fundamental o gerenciamento da rede a partir de um único ponto, tornando atividades complexas de gerenciamento da WAN para todas as filiais e head-ends (data centers ou nuvens públicas) serão bastante simplificadas em 2020. As equipes de TI também poderão usar essas mesmas plataformas para unificar políticas e gerenciamento, bem como redes e segurança, para o tráfego da LAN. Em toda a LAN e WAN, um único painel monitora e gerencia aplicativos corporativos para todos os usuários, gateways, pontos de acesso, switches e outros elementos de rede, incluindo dispositivos IoT.
 
Conectividade em nuvem se torna mais transparente e onipresente
• Em 2020, as organizações aproveitarão cada vez mais os serviços baseados em nuvem das filiais para oferecer suporte a aplicativos essenciais, reduzindo a exposição a usuários mal-intencionados e outras fontes de ataques cibernéticos. Os gateways virtuais se integrarão melhor aos serviços de rede fornecidos em nuvens públicas para simplificar e acelerar bastante essa tendência. Os novos recursos da SD-WAN permitirão à TI monitorar e gerenciar melhor aplicativos de infraestruturas de nuvem pública.
 
Internet pública continua a substituir o MPLS em filiais remotas
• Em 2020, as organizações utilizarão cada vez mais serviços públicos de Internet, que estão disponíveis mais amplamente e custam até 100 vezes menos que o MPLS (Multiprotocol Label Switching, ou Comutação de Rótulos Multiprotocolo, em português, para conectividade de escritório remoto SD-WAN. Essa tendência está sendo impulsionada pelas soluções SD-WAN de última geração que usam ferramentas analíticas baseadas em Machine Learning para melhorar o desempenho e a utilização. Além disso, essas soluções redirecionam automaticamente o tráfego para minimizar as interrupções na rede, o que aumenta ainda mais a confiança nos serviços públicos da Internet como principal veículo de transporte.