Aruba apresenta estudo global sobre a oportunidade da Borda para ter êxito nos negócios
72% já usam as tecnologias da Borda para entregar resultados; 92% dos gestores acham que está faltando pelo menos alguma habilidade necessária para ajudar sua organização a extrair valor dos dados, diz pesquisa global da Aruba



A habilidade das organizações de obter valor comercial a partir dos dados depende cada vez mais de sua capacidade de coletar, processar, armazenar e analisar estes dados na Borda, sugere uma nova pesquisa da Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise.

À medida em que as redes ficam cada vez mais congestionadas com grandes volumes de dados gerados a partir de dispositivos de usuários e IoT, os líderes de TI estão reconhecendo que a análise de dados em tempo real mais perto da Borda - próximo de onde os usuários estão - produz maior eficiência e insights, o que resulta em melhores resultados para os negócios. De acordo com um estudo global feito com 2.400 tomadores de decisão de TI (ITDMs), 72% já usam ativamente as tecnologias da Borda para entregar resultados, com outros 16% planejando fazê-lo no próximo ano. Há também um reconhecimento crescente (82%) da urgência em torno da necessidade de implementar sistemas integrados para lidar com dados na Borda.

Além disso, a maturidade da implantação de uma empresa na Borda está fortemente relacionada com sua capacidade de extrair valor dos dados coletados dos dispositivos. Setenta e oito por cento dos ITDMs que estão implementando tecnologias de Borda disseram que estavam em posição de usar esses dados para melhorar as decisões ou processos comerciais. Isso se compara a 42% dos gestores que estão apenas no estágio piloto e 31% que estão planejando pilotos para o próximo ano."A pesquisa sugere que a grande maioria dos líderes de TI já está adotando a Borda ou se preparando para isso", disse Partha Narasimhan, CTO da Aruba e membro sênior da HPE. "Desenvolver uma estratégia de Borda contra o pano de fundo das implementações de nuvem existentes está se tornando uma necessidade à medida que o número de dispositivos conectados aumenta e se torna impraticável transferir grandes volumes de dados para um ambiente de nuvem ou data center, especialmente quando as organizações passam por transformação digital para avançar seus objetivos de negócios e atender às necessidades do cliente."

Os resultados estão no relatório "At the Edge of Change: Navigating the New Data Era", que avalia as implicações da mudança no processamento de dados da nuvem para a Borda, como os ITDMs estão respondendo a esta tendência, as oportunidades que a Borda apresenta para vários setores e a função crítica que a rede desempenha nessa transformação. As principais descobertas são:

Os benefícios das tecnologias de Borda se tornam cada vez mais importantes em razão do volume de dados:

•33% dos ITDMs disseram "há muitos dados para nossos sistemas manipularem" e 28% afirmaram que "não podemos processar os dados com rapidez suficiente para agir".
•Quase um quarto também destacou problemas com orçamento (23%), falta de habilidades (23%) e incapacidade de coletar dados de tantas fontes diferentes (21%).
•Mais da metade (55%) dos gestores reconhecem o "processamento de dados muito mais rápido" como resultado da otimização do aprendizado de máquina e da Inteligência Artificial (IA) em suas redes.

Novas experiências e mais eficiência

Os ITDMs em todos os países ouvidos citam uma variedade de benefícios da coleta e análise de dados na Borda, desde eficiências operacionais até a oportunidade de criar novos produtos, serviços e fluxos de receita:

•53% destacaram "melhorar a eficiência operacional e os custos" como um dos maiores benefícios de capturar e agir sobre os dados dos dispositivos do usuário e 47% citaram "aumentar a produtividade da força de trabalho".
•Paralelamente, 44% dos entrevistados acreditam que os dados fornecem percepções mais profundas sobre o cliente, 40% citaram a oportunidade de criar "novos produtos, serviços, fontes de receita e modelos de negócios diferenciados" e 40% destacaram o potencial para a entrega de serviços personalizados.
•Os ITDMs estão focados em utilizar a Borda para melhorar a segurança, a visibilidade e a experiência do cliente. Por setor, os casos de uso mais populares foram rastrear e monitorar itens através da cadeia de suprimentos no varejo (51%), o uso de reconhecimento facial na indústria de hotéis/hospitalidade (49%) e melhorar a experiência dos provedores de saúde com ferramentas e aplicações 100% disponíveis (49%).

Preocupação com custos, habilidades e segurança
Embora os ITDMs mostrem um interesse crescente em processar e analisar dados na Borda, eles também estão preocupados com as várias barreiras à sua adoção.

•32% apontaram a falta de experiência, habilidade ou compreensão em relação às tecnologias de Borda como as principais preocupações. Notavelmente, a grande maioria (92%) acha que está faltando pelo menos algumas habilidades necessárias para ajudar sua organização a desvendar o valor dos dados. Isso sobe para 98% e 99% dos ITDMs nos setores de governo e hotéis/hospitalidade, respectivamente.
•Habilidades de IA e aprendizado de máquina (43%), habilidades analíticas (41%) e técnicas (37%) foram classificadas em primeiro lugar em termos de áreas de especialização que as empresas carecem.
•Em geral, havia sentimentos mistos sobre as implicações de segurança da Borda. Enquanto 57% dos gestores disseram que conectar IoT ou dispositivos de usuário na Borda se tornou ou tornaria seus negócios mais vulneráveis, 47% identificaram a segurança aprimorada como um dos maiores benefícios da captura de dados de dispositivos de usuário.

Da Borda à nuvem

Com o aumento da dependência dos dados, é fundamental que eles sejam analisados e processados na origem de forma confiável e segura. As arquiteturas de rede tradicionais e os processos operacionais desenvolvidos para dar suporte à era da nuvem e da mobilidade precisam se adaptar a esses novos requisitos.

À medida que as organizações começam a considerar aproveitar o poder de seus dados e construir uma infraestrutura de Borda, existem alguns conceitos-chave a serem considerados para uma implementação bem-sucedida:

Unificar - a Borda incorpora todos os domínios de rede, incluindo com fio, sem fio e SD-WAN; e todos os locais, incluindo sede, filial, data center e ambientes de trabalho remoto. As equipes de operações de rede devem considerar apenas soluções que possam gerenciar todos os domínios e locais a partir de um único painel nativo da nuvem que possa centralizar e correlacionar todos os eventos e operações entre domínios.

Automatizar - o tempo de atividade e o desempenho da rede são essenciais na Borda. As equipes de operações de rede devem considerar apenas soluções que forneçam insights confiáveis, altamente precisos e específicos baseados em IA, e automação que possa resolver os problemas mais rapidamente, antes que afetem os negócios ou os usuários.

Proteger - A proliferação de dispositivos IoT gerando os dados que alimentam resultados de negócios também apresenta novos desafios de segurança. As equipes de operações de rede devem considerar soluções que usam IA para detectar, classificar e monitorar continuamente esses dispositivos e trabalhar soluções de controle de acesso para colocar automaticamente os dispositivos em políticas centralizadas que garantam que eles permaneçam seguros e se comuniquem apenas com recursos predeterminados.

"Aproveitar os insights da Borda é uma oportunidade para as empresas revolucionarem sua abordagem aos dados e aproveitar seu valor como um ativo de negócios", conclui Narasimhan. "As organizações que podem processar, armazenar e analisar dados na Borda serão capazes de usar esses dados primeiro para otimizar seu modelo de negócios existente e, com o tempo, desenvolverão produtos, serviços e experiências inovadores que não só aumentarão, mas transformarão suas ofertas para clientes e funcionários. "