Aruba disponibiliza soluções tecnológicas que visam melhorar a experiência de uso dos clientes
 Na visão de Eduardo Gonçalves, country manager da Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise, a mobilidade tem melhorado a produtividade e a experiência do usuário no mundo dos negócios, por isso a companhia disponibiliza soluções baseadas nas megatendências relacionadas à IoT, Segurança, Edge Computing, Mobilidade e Inteligência Artificial para atender as empresas de todos os portes e alavancar as vendas. A seguir o bate-papo com o executivo:   



PartnerSales: O que tem a falar sobre esses quase dois anos na posição de country manager da Aruba?

Eduardo Gonçalves: Como o tempo voa, já se passaram quase dois anos. Dois anos de muita aprendizagem, muito trabalho e construção de novas amizades e caminhos. Creio que o objetivo sempre é o foco no capital humano, nas pessoas. Como um time, podemos fazer muito mais do que sozinhos. O aumento de produtividade é consequência natural quando temos um time forte, unido e com o foco no coletivo e não no individual. O principal sentimento é o de agradecimento por poder fazer parte disso. 

 PS: De que modo as suas experiências anteriores à Aruba impactam o seu trabalho atualmente?

EG: As minhas experiências anteriores de certo modo formam uma parte importante de quem eu sou. Desde a época de estágio na Telefônica Empresas, ou ainda como estudante de engenharia na FEI. Até a chegada à HP em 2011. Sempre vamos ter experiências boas e ruins, mas no final do dia o importante é o que aprendemos com elas.   

PS: A aquisição da companhia pela HPE em 2015 foi um grande passo para a operação tendo como resultado o aumento do número de clientes no Brasil, qual a sua análise sobre a atuação da empresa no período e quais são as expectativas para os próximos anos?

EG: Quando ocorreu a aquisição, a Aruba passou a contar com a contribuição de departamentos incorporados da HPE, como supply chain e pós-vendas, provocando um grande impulsionamento. Hoje, além do time dedicado exclusivamente a Aruba, seguimos com esse “leverage” com o time da HPE. Para o mercado brasileiro, este formato foi muito positivo. A expectativa é registrar um crescimento semelhante ao de 2018, que foi em torno de 50%. Já no primeiro trimestre, houve um crescimento de 20% em relação ao ano passado. Em termos de projetos, estamos com um pipeline bem positivo, com expectativa de crescimento em áreas que até então não estávamos presentes. A Aruba visa ganhar market share atacando novos mercados, principalmente em segurança, com a fortificação de parcerias neste segmento.   

PS: Qual a visão da companhia do mercado de redes no Brasil? 

EG: O mercado da região está mais receptivo a esse tipo de solução, comparado há cinco anos. Hoje, falamos de conectividade unida a fatores como experiência diferenciada para o cliente, maior produtividade, redução de custo operacional, entre outros fatores. Ainda temos o desafio de mudar a forma de pensar das empresas, para enxergar a TI como uma área estratégica, aliada às áreas de marketing e inovação, e não apenas como um centro de custo. 

 PS: De que modo a Aruba moderniza a segurança de rede para demandas de mobile, cloud e IoT?

EG: A segurança pode ser um fator desafiador, principalmente na era da IoT. Por meio de ferramentas de UEBA (User and Entity Behavior Analytics: análise do hábito do usuário), é possível analisar comportamentos de tráfego na rede de uma empresa, por exemplo, e alertar quando há uma mudança que pode afetar a segurança. A Aruba oferece ao mercado produtos como o Clear Pass, de controle de acesso à rede, e o Introspect, que analisa o comportamento do usuário em dispositivos, entre outras soluções relacionadas à segurança de redes.

PS: Quais são as soluções que pretendem priorizar este ano?

EG: O grande lançamento da Aruba este ano é o Aruba ClearPass Device Insight, uma ferramenta que utiliza a detecção automatizada de dispositivos e o aprendizado de máquina (machine learning) para identificação digital, garantindo a segurança em redes. Já a nossa plataforma de gerenciamento em nuvem, Aruba Central, ganhou novas funcionalidades, capaz de fazer o controle de todo o portfólio de nossos produtos, desde o segmento small and medium business até large enterprise.   

PS: Qual a avaliação do impacto das novas tecnologias no mercado em que a empresa atua?

EG: O impacto é enorme. Recebemos esse feedback de maneira constante dos nossos clientes, colaboradores e parceiros. A tecnologia com foco em uma melhor experiência das pessoas, sejam elas colaboradores, clientes internos ou externos traz um impacto muito grande em qualquer organização.   

PS: Nos últimos anos, a Aruba tem investido regularmente em seu ecossistema, afinal o modelo de negócios é baseado 100% nos canais, para este ano o que será feito em prol do parceiro?

EG: Investimos constantemente em capacitação, treinamento e atualização tecnológica dos nossos parceiros de vendas. Este é um ponto-chave para o sucesso de todo ecossistema Aruba. Recentemente, aprimoramos os programas de canais, permitindo que tenhamos mais pessoas certificadas e capacitadas a vender, instalar e dar suporte nas plataformas Aruba. 

 PS: De que maneira as revendas podem agregar valor na hora de comercializar as soluções da Aruba?

EG: O papel dos parceiros é fundamental no processo de transformação digital. Na Aruba, todas as nossas vendas são feitas no modelo indireto, ou seja, sempre através de um parceiro. Canais é um pilar de suma importância, no qual os parceiros que investiram junto com a Aruba estão tendo excelentes resultados esse ano. Sempre com o foco em entregar tecnologia como um meio de trazer uma melhor experiência e, como consequência, uma maior produtividade para nossos clientes.   

PS: De que forma o canal pode melhorar sua performance para atender a demanda dos clientes?

EG: Na Aruba, temos uma série de ações para capacitação dos nossos canais, oferecendo nosso know-how que os permite contribuir para o crescimento dos negócios dos clientes.

 PS: Como são realizados os treinamentos e certificações com os canais?

EG: As ações vão desde treinamentos e certificações técnicas, com foco na operação dos produtos, passando por workshops de arquitetura e posicionamento das soluções até como nossos produtos podem ser implementados por verticais de mercado. 

 PS: O que o público pode esperar da edição 2019 do Atmosphere Regional?

EG: Mais uma vez, vamos focar em oferecer aos participantes, clientes e parceiros uma experiência inovadora, apresentando as soluções da Aruba voltadas à mobilidade, conectividade e segurança. Além disso, nossa proposta é que o público possa fazer uma imersão em temas atuais, como IoT e nuvem. O Atmosphere é o nosso evento mais importante e reune executivos de nível internacional do mercado de redes, o que também o torna uma ótima oportunidade para relacionamento. Os participantes também poderão conferir o uso de nossas soluções voltado para verticais específicas, como varejo, saúde, educação, entre outros.