Brasil exporta data centers pré-fabricados para a América Latina e para o mundo
A inteligência brasileira está por trás do projeto, fabricação, testes e transporte (logística) do produto que está no centro da economia digital global: o data center. Hoje, empresas localizadas em toda a América Latina, incluindo o Caribe, conseguem dinamizar seus negócios digitais com a ajuda de data centers pré-fabricados totalmente desenvolvidos no Brasil.  Essa oferta é uma forma de expandir de forma acelerada a infraestrutura digital da nossa região.


A criação de um data center pré-fabricado é uma empreitada multidisciplinar que exige a reunião, no local de fabricação, da expertise necessária para isso. 

Engenheiros brasileiros de áreas como computação, mecânica e elétrica estão somando seu conhecimento a profissionais especializados em desenvolvimento de projetos e logística. O resultado é uma solução pré-fabricada alinhada às melhores práticas do mercado – uma prova da excelência da formação do profissional brasileiro e sua capacidade de entregar valor ao mercado global, não apenas local. 

O Brasil já possui plataformas de produção de data center pré-fabricados que contam com espaço físico, componentes técnicos, processos e um time de profissionais que domina as diferentes demandas da infraestrutura crítica (energia, ar condicionado, monitoração de data centers, construção, testes, transporte etc.). Essa expertise, aliás, é um dos fatores críticos para o desenvolvimento de data centers modulares. 

A proximidade geográfica de outros países da América Latina e o conhecimento das regulamentações locais da região em relação à importação e à exportação de produtos manufaturados abre novas oportunidades de negócio para fornecedores brasileiros de data centers pré-fabricados. Isso é especialmente verdadeiro no tocante ao Mercosul, o acordo de livre comércio entre Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname e Peru que capacita o crescimento econômico desses países. Graças ao Mercosul, produtos manufaturados – incluindo os data centers pré-fabricados – que circulam entre esses países gozam de isenção de impostos.

 

O mercado de data centers pré-fabricados é organizado em várias categorias.

 

Uma das mais conhecidas é a focada em módulos que incluem infraestrutura de energia e refrigeração totalmente integrada. Esse tipo de data center pré-fabricado inclui racks, soluções de distribuição de energia, refrigeração, cabeamento, supressão de fogo, recursos para monitoramento e controles de acesso e segurança. Não basta, porém, manufaturar os data centers pré-fabricados: serviços de alto nível devem suportá-los desde a fase de projeto de uma nova unidade. A criação de módulos pré-fabricados de alta qualidade inclui serviços de gerenciamento de projetos, uma extensa fase de testes e a logística de envio dos módulos até o ambiente do cliente, onde quer que a empresa usuária esteja localizada.

Há alguns anos, a única resposta à demanda de um novo data center seria a construção de uma unidade em um edifício – conforme o porte desse site, isso poderia levar mais de um ano. Esse modelo de produção não acompanhava o ritmo de alguns dos negócios digitais. 

Os data centers pré-fabricados substituem o edifício, oferecem as mesmas garantias dos data centers tradicionais e ainda reduzem o prazo entre o desenvolvimento do novo centro e sua operação para um período entre 4 e 5 meses. Esse dado é da empresa de análise de mercado 451 Research. Um relatório dessa mesma empresa aponta que, até 2021, o mercado de data centers pré-fabricados deverá chegar a 4,4 bilhões de dólares.


Google, Facebook, Microsoft e Alibaba lideram uso de data centers pré-fabricados. 

 

As verticais dos mercados globais que mais procuram os data centers pré-fabricados são os líderes da economia digital (Google, Facebook, Microsoft, Alibaba etc.) e os provedores de computação em nuvem, entre outros provedores de serviços digitais como ISPs. São segmentos que crescem de maneira acelerada, e encontram na oferta pré-fabricada uma forma de suportar essa expansão sem, no entanto, renunciar a nenhum dos benefícios de um data center tradicional. 

Há uma grande multiplicidade de ofertas de data centers pré-fabricados, com projetos que vão de alguns metros quadrados a centenas ou milhares de metros quadrados. Uma das opções mais conhecidas é a do data center pré-fabricado inserido no que parece um container. Trata-se, na verdade, de um módulo especial totalmente digitalizado e monitorado, que oferece as garantias de continuidade de processamento que um data center exige. Os módulos especiais são fabricados sob medida para o data center – cada unidade leva em conta não só as dificuldades de transporte da solução, que deve chegar ao cliente em perfeitas condições, mas, também, a robustez exigida pelo ambiente digital. 

O Brasil já desenvolveu projetos de data centers pré-fabricados com mais de 1000 m² de área, organizados em 18 módulos. 

A maior procura é por módulos que vêm com as soluções de energia, ar condicionado de precisão e monitoração de ambiente que garantam seu funcionamento 24x7, qualquer seja sua aplicação, qualquer que seja o ambiente exterior onde estarão inseridos. A partir dessa infraestrutura pronta, a empresa usuária do data center pré-fabricado irá inserir, nos racks, os servidores, roteadores, firewalls etc. que necessita para suportar seus negócios digitais. 

Muitas empresas usuárias – por razões de espaço ou porque essa é a realidade de sua operação – precisam instalar o data center pré-fabricado em ambientes externos hostis, expostos às intempéries. Isso vai do estacionamento de uma universidade até usinas hidrelétricas e minas. Os fabricantes de data centers pré-fabricados são capazes de fornecer estruturas robustas que, comprovadamente, protegem o equipamento crítico em clima adverso.


Em 2020 e nos próximos anos, será cada vez mais comum a convivência entre data centers tradicionais e data centers pré-fabricados. 

Pesquisa realizada pela Cisco em 2018 mostra que, somente em 2022, haverá mais tráfego IP do que o tráfego gerado nos 32 anos desde a criação da Internet. Haverá mais de 28 bilhões de dispositivos conectados e 82% de todo tráfego IP será formado por arquivos de vídeo. 

A oferta de data center pré-fabricado representa uma nova forma de criar infraestrutura crítica para este mundo hiper conectado. Acredito que a chegada da rede 5G fará essa demanda aumentar ainda mais. A expertise do Brasil em produção de data centers pré-fabricados já está trazendo negócios de alto valor agregado para o nosso mercado. Nos próximos anos, nossa participação nesse segmento só irá crescer.