CIOs na mira: como lidar com os desafios da mobilidade?
Estamos vivendo um presente que nunca sequer imaginamos. Vimos isso centenas de vezes em filmes diferentes, mas quando comemoramos a chegada de um novo ano em 31 de dezembro, ninguém poderia prever que ele seria tão diferente. E, embora as mudanças estejam afetando as empresas em todos os níveis, acelerou-se uma transformação que há alguns anos vinha caminhando a passos lentos na América Latina: a mobilidade dos negócios. De um dia para o outro, os colaboradores das empresas precisavam ir trabalhar remotamente e os CIOs tiveram que dar o suporte tecnológico para que pudessem ter tudo o que precisam para realizar suas tarefas. Mas como você está lidando com essa mudança?
 

Agora que estamos trabalhando "de casa" há várias semanas, é hora de os CIOs analisarem e se perguntarem se a experiência de trabalho que estão fornecendo está correta e de que maneira estão gerenciando dados e aplicações, porque, na medida em que avançamos em direção à uma nova normalidade, o fortalecimento desta infraestrutura será fundamental.
 

Nesse sentido, uma primeira análise deve se concentrar no acesso a dados e aplicações. A experiência de trabalho está intimamente ligada à capacidade das pessoas de ter o que precisam quando precisam e afeta definitivamente a produtividade. Subestimar a necessidade de acesso de qualidade às informações apenas aproximará os funcionários de práticas que podem acabar colocando em risco os dados.
 

A segurança da informação é outro ponto central. Conseguimos deslocar os colaboradores para trabalhar em casa, mas as informações estão seguras? Temos controle e visibilidade ou, quando saímos do prédio corporativo, perdemos tudo? Em um contexto em que os acessos e redes ??se diversificaram, onde há um maior uso de dispositivos pessoais e onde os ataques de phishing aumentaram, poder separar informações corporativas e pessoais e adicionar um perímetro de segurança em torno dos dados e aplicações é de vital importância.
 

Por fim, mas não menos importante, há a rede como um ponto a ser observado. Estamos todos trabalhando de casa, mas ao mesmo tempo em que a rede é usada por diferentes pessoas que estão nesta casa, por isso ela deve ter capacidade de suportar os acessos. Gerenciar a rede ao mesmo tempo em que se otimiza a conectividade torna-se um recurso mais do que interessante para sustentar as práticas diárias de trabalho remoto - como chamadas de vídeo - e garantir que a rede esteja sempre responsiva para que os colaboradores possam trabalhar sem problemas.
 

O olhar do CIO sobre esses aspectos será decisivo para se obter uma boa experiência de trabalho, que sustentará a mobilidade dos negócios não apenas agora, mas também no futuro. Muitas mudanças que estão ocorrendo de maneira forçada continuarão a nos acompanhar após a pandemia, e o trabalho remoto é uma delas. Tudo o que está sendo feito agora para tornar esse modelo eficaz oferece mais oportunidades de negócios, capacita e incentiva os colaboradores e coloca o TI no papel de provedor de mudanças – algo que deve ser inerente ao departamento.