Especial de PCs e Notebooks
Segundo o IDC, no primeiro trimestre de 2019 foram vendidos 1,230 milhão de unidades de desktops e notebooks   
Para responder a esta pergunta, temos que ter em mente que em plena onda digital, nos deparamos constantemente com as transformações tecnológicas que mudam a forma como lidamos com nossos dispositivos. Estar conectado se tornou essencial e cada vez mais queremos adquirir  aparelhos dinâmicos, inteligentes e ágeis que atendam às nossas necessidades e aperfeiçoem as nossas experiências de uso.  Neste contexto, observamos que o setor de PCs e Notes se reinventa a cada ano e as fabricantes disponibilizam portfólios mais robustos, práticos e seguros para lidar com o novo comportamento do mercado ávido por produtos aplicados às novas tecnologias. De acordo com um estudo recente do Gartner, apesar da constante evolução dos dispositivos, os usuários ainda dependem de seus computadores tanto quanto de seus smartphones. A pesquisa mostra que 40% das pessoas usam computadores (seja desktops ou notebooks) ou tablets para atividades diárias como ler e escrever e-mails mais detalhados ou assistir a vídeos, enquanto 34% utilizam seus smartphones por comodidade enquanto se locomovem.  Já no campo corporativo, os computadores e notebooks são os aparelhos da vez e movimentam o setor. Só para termos ideia, no último trimestre de 2018, foram vendidos 1,445 milhão de computadores. Somados aos volumes dos trimestres anteriores, o ano fechou com vendas de 5,575 milhões de computadores. Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q4/2018 e mostram que o mercado de PCs está vivo e com fôlego. “Ainda não temos um dispositivo que faça tudo o que um computador faz. É uma categoria necessária e, por enquanto, insubstituível”, diz Wellington La Falce, analista de pesquisa do IDC Brasil.  O executivo completa que a receita também cresceu 17%, com R$ 10,330 bilhões referentes às vendas de notebooks e R$ 3,665 bilhões de desktops. Dos 5,575 milhões de computadores vendidos em 2018, 3,920 milhões foram notebooks e, desses, 903 mil foram para o mercado corporativo, aumento de 38%. Em termos de preço, em 2018, os notebooks ficaram 10% mais caros, custando, em média R$ 2.665, e os desktops aumentaram 8%, custando R$ 2.212. “A oscilação do dólar impactou o preço, mas o mercado conseguiu crescer com a ajuda do setor corporativo, que investiu bastante em notebooks para oferecer mais mobilidade ao colaborador, especialmente em modelos com melhor performance”, acrescenta La Falce.   Tendências que permeiam o segmento na atualidade Em plena transformação digital borbulhando, o que antes era apenas uma tendência se tornou realidade no mundo contemporâneo. “Com os equipamentos cada vez mais potentes e uma demanda crescente para suportar fortes cargas de trabalho, o mercado deve continuar aquecido em 2019, seguindo as tendências de transformação digital que o Brasil está passando. Olhando para o futuro próximo, sabemos que a Geração Z, dos jovens até 18 anos, têm uma grande preferência pelo uso dos desktops e notebooks. Segundo o balanço do Google “Gen Z Insights”, 69% dos jovens  utiliza o notebook com muita frequência, sendo esse o device preferido, atrás apenas do celular. O comportamento de compra desses jovens consumidores deve ditar o movimento do segmento nos próximos anos e, tanto nós, quanto os canais, devemos ter uma atenção especial para esse mercado”, avalia Sandra Fantoni, diretora de Produtos Commercial & Consumer e Marketing da Ingram Micro.  Luiz Sakuma, gerente sênior de produtos da Lenovo, pontua que a tendência que mais cresce atualmente no mercado e que o canal precisa ficar atento é o suporte às tecnologias que estão em ascensão, como Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada. “Para a Lenovo, a Transformação Digital já aconteceu. Vivemos agora a era da Transformação Inteligente, onde o suporte à essas tecnologias não será mais diferencial, mas sim uma necessidade das fabricantes. Oferecer produtos integrados às novas tecnologias é fundamental para manter a relevância no mercado”, afirma o executivo, destacando que a fabricante tem investido em novas tecnologias, como os notebooks de tela infinita, os finos e leves, e o carregamento rápido de bateria.  Na visão da Dell, o mercado de computadores vive em constante evolução, impulsionado pelo impacto da transformação digital.  “Algumas das principais tendências incluem o BYOD, ou traga seu próprio dispositivo, em que empresas permitem que os usuários trabalhem com seus equipamentos pessoais dentro da rede corporativa. Também observamos um crescimento exponencial na implementação de soluções tecnológicas que permitam o trabalho remoto, além da busca por equipamentos cada vez mais portáteis, que permitam a produtividade onde quer que o usuário esteja. A partir dessas tendências, nosso entendimento é de que os usuários querem liberdade para estar conectados a qualquer hora, lugar e a partir de qualquer dispositivo, enquanto as organizações para as quais eles trabalham precisam atender essa demanda sem criar silos ou custos adicionais de gerenciamento e sem comprometer a eficiência de TI e a segurança dos dados. Outra tendência que notamos no lado do hardware e está presente em nossas novas linhas de produtos é o aumento da interface com o usuário com telas maiores e a diminuição das unidades de processamento, cada vez mais potentes e menores”, agrega Carolina Scanavini, gerente de Produtos Corporativos da Dell.  Para a importadora e distribuidora de informática e eletrônicos Oderço, que possui a marca própria de computadores Movva e está  presente no mercado há mais de 30 anos, atendendo a todo o país, o novo rumo do setor se define com os mini PCs. “A possibilidade de ter em casa ou no trabalho um computador que ocupa de 5 a 10 vezes menos espaço com o mesmo desempenho é muito promissor, pois hoje a questão de espaço também é um requisito avaliado no momento de comprar um computador. Estamos lançando também o primeiro PC Streaming, em parceria com a AVerMedia. O objetivo é atender gamers, streamers e geradores de conteúdo que estão em busca de produtos de qualidade, sem abrir mão da relação custo X benefício”, conta Ivanir M. Sangaletti, gerente de Produtos da companhia.  Quem também aposta nos mini Pcs é a Agis que investe em modelos com nova geração de processadores intel, com armazenamento hibrido (SSD + HD), novos modelos com processador AMD, modelos com Linux como sistema operacional e em breve terá uma nova linha de desktop gamer. “Acreditamos no aumento da demanda de notebooks. Isso vai de encontro à tendência em todas as áreas (eletrônicos, eletrodomésticos, motores automobilísticos, etc) de produtos menores e mais potentes. A tendência é o crescimento das linhas de notebook e também de mini-Pcs acoplados atrás de monitores para economia de espaço físico. Uma vertical que está crescendo bastante é a de Educação. Cada vez mais as instituições buscam apoio tecnológico nas salas de Aula. Google e Microsoft estão concentradas por esse mercado pois a geração de conteúdo e gerenciamento ainda é bastante deficitária no Brasil”, ressalta Camila Rabelo, diretora Comercial e de Marketing da distribuidora.  Anderson Kanno, diretor de Marketing & Vendas da Acer, avalia o crescimento dos equipamentos com modelos 2 em 1, como o notebook Spin 3 da marca. “A posição desse notebook pode ser mudada conforme a necessidade do usuário e o modelo pode ser utilizado no formato display, tablet ou laptop. Os equipamentos também precisam ser práticos para o usuário carregá-los o dia inteiro. É importante destacar que quase a totalidade das nossas vendas são feitas via canal de TI (distribuidoras e revendas). Desde o ano passado, a Acer também investe na área educacional com produtos e soluções Microsoft e Google desenvolvidas para alunos e professores que proporcionam uma experiência completa que facilitam o processo de aprendizagem”, pontua o executivo.  Já a HP Inc, por sua vez, analisa que o gerenciamento de aparelhos Device as a Service (DaaS) deve ditar o segmento nos próximos anos. “O Brasil já é um dos maiores mercados em outsourcing de impressão, e porque não expandir isso para soluções de computadores. A HP possui uma estrutura para isso na América Latina focada no desenvolvimento do segmento e esse também é um dos pontos de crescimento para o Brasil. Hoje já existem canais no país com um foco em DaaS, e com certeza os parceiros que estiverem preparados para essa demanda sairão na frente. O importante é se diferenciar e entregar a solução mais completa agregando valor na venda para o cliente”, avalia Bruno Ortolani, gerente de Categoria da HP.  A Intel se considera uma geradora de tendências para o setor e traz projetos para o novo cenário do segmento. “Durante a CES, em janeiro, apresentamos o projeto “Athena” cujo intuito principal é revolucionar o mercado de notebooks com novos designs e uma nova proposta de performance e entregabilidade. Além disso,  anunciamos o projeto “Ice Lake”, com processadores de 10 nanômetros para notebooks que além de acelerar recursos de Inteligência Artificial, traz uma dinâmica gráfica capaz de melhorar ainda mais o desempenho de jogos e softwares de criação em 3D”, afirma Reginaldo Rodrigues, diretor de Canais, Distribuição e Vendas da Intel. O segmento está mudando e traz muitas oportunidades para as revendas que se especializarem na venda de PCs e notebooks, é fundamental observar atentamente a movimentação do mercado e conhecer quais as tendências que permeiam o segmento.   Portfólios que reúnem soluções mais competitivas para o setor De modo geral, as companhias apresentam dispositivos que atendam as necessidades dos clientes sejam domésticos ou corporativos. O mercado de PCs, como um todo, tem vivenciado um período favorável diante dos avanços tecnológicos, na visão de Kano, da Acer. “Ampliamos o nosso portfólio com notebooks conversíveis e educacionais, além da linha de desktops e notebooks gamer. Também no primeiro semestre, tivemos lançamentos internacionais de peso, como os dois Chromebooks Premium de 13” projetados para o uso comercial. Com o lançamento destas linhas de produtos e a diversificação dos canais de comercialização, a Acer conseguiu manter um bom ritmo de crescimento no ano passado e pretende o mesmo em 2019”, diz o executivo.  A HP Inc., por sua vez, expandiu o portfólio no último ano, trazendo para o mercado soluções mais competitivas. “Entre esses produtos destacamos o HP Pro A MT, um desktop voltado para o mercado de pequenas e médias empresas equipado com processadores Ryzen da AMD. Para o mercado de médias e grandes empresas, trouxemos o ultrabook Probook 645, também com processadores Ryzen. Essa nova linha de processadores, além do desempenho fantástico traz um excelente custo X  benefício aos nossos clientes”, discorre Ortolani, pontuando que o canal na hora da venda dos computadores deve oferecer acessórios, monitores e serviços.  Já a Dell aposta no desenvolvimento de soluções próprias para aprimorar a experiência do usuário. “Oferecemos recursos que vão desde uma suíte completa de funcionalidades avançadas de segurança para os dados corporativos em um PC até um software que permite a integração do smartphone com o computador, para que o usuário possa responder chamadas e utilizar os recursos do telefone diretamente na tela do notebook ou desktop. Nosso foco está na oferta de inovação prática, eficiente e acessível e em um modelo de proximidade com as necessidades de cada cliente”, conta Carolina.  Cristina Kira, gerente de divisão Produtos Corporativo SND, pontua que a companhia está otimista este ano com a linha de PCs e Notes, afinal o cenário econômico prevê um crescimento em 2019. “Trabalhamos com diversas marcas que atende muito bem este segmento, como Acer, HP e Lenovo, no caso específico de Lenovo, temos apenas com a linha corporativa, e sentimos um aumento de demanda significativo. Notamos  que as empresas estão voltando a investir em aumento e atualização do parque tecnológico com o objetivo de ampliar a produtividade e rentabilidade de seus negócios e isso se reflete no mercado como um todo”, avalia a executiva.  A Nagem, empresa multicanal com mais de 26 anos de mercado, que atua nos segmentos de e-commerce, varejo físico, distribuição e corporativo investe na variedade dos produtos com mais de 170 marcas, agilidade na entrega, infraestrutura e equipe profissional treinada para atender os parceiros. “Neste ano,  teremos uma linha  de Desktop Gamers e uma maior gama de Mini Pcs, como maior robustez e eficiência energética. Na linha de notebooks além do mercado corporativo com produtos de maior eficiência, traremos também aparelhos cada vezes menores mais leves e mais potentes e uma maior oferta da linha gamer”, diz Paulo Dantas, diretor de Compras da companhia.  Ivanir, da Oderço, agrega que no último ano, a marca teve um crescimento nas vendas de 260% em relação ao ano anterior.  A Movva é uma marca nova no mercado, é nossa forma de trabalhar de modo personalizado, atendendo o cliente conforme sua necessidade. Com mais de 200 modelos de computadores, desde Thin Client, Automação, Linha Home&Office e Gamer, continuamos buscando a cada dia mais novidades e opções para oferecer aos parceiro dando destaque para o mercado de Desktops e projetos focados na linha de Mini PCs”, diz.  No final do ano passado, a Intel apresentou a 9ª geração para desktops de processadores Intel Core, incluindo o i9-9900K, processador para games da marca, e a Intel Core X-series, para criadores de conteúdo. “Em março, durante a GDC (Game Developers Conference), anunciamos a segunda parte da estratégia da atual geração de processadores com a linha mobile dedicada à notebooks e, também, para o usuário corporativo a atualização da plataforma Intel vPro, a melhor plataforma integrada para os negócios”, ressalta Reginaldo, da Intel. As oportunidades de vendas para os canais no segmento de desktops e notes Para saber onde estão as oportunidades de vendas é preciso entender que o mercado de desktops e notebooks tem um amplo leque para as vendas dos canais. “O mercado corporativo ainda concentra as melhores oportunidades de negócio. Dentro da Ingram Micro Brasil possuímos uma divisão chamada Ingram Micro ITAD, que disponibiliza serviços de logística reversa, trade-in, destruição de dados e de reciclagem para equipamentos eletrônicos. Os canais podem oferecer esses serviços de ITAD aos seus clientes agregando muito valor na hora de uma negociação”, destaca Sandra, da Ingram.  Para a Agis, a área de serviços facilita as transações comerciais das revendas. “Os serviços aumentam a confiança do cliente e acabam tornando uma negociação cotidiana numa venda de valor agregado. Quando o canal possui time técnico, a inclusão de serviços de garantia onsite com tempo de solução costuma trazer um retorno financeiro extraordinário além da fidelização do cliente. Outros serviços como instalação de softwares, controle de ativo fixo e gerenciamento remoto também trazem um impacto muito positivo na relação com o cliente”, afirma Camila.  Já a Movva, avalia que as áreas de Automação Comercial e Gamer estão em expansão e trazem chances de vendas para os parceiros. “Estamos apostando em nosso lançamento com foco nos Streamers, outro mercado em ascensão ainda subexplorado.  Todos os segmentos citados necessitam de produtos adicionais para complementar à solução, como: monitor corporativo ou Gamer, leitor de códigos de barras, impressora fiscal, cadeira Gamer, teclado, mouse, enfim, as revendas podem agregar muitos outros itens à venda de um computador’, diz Ivanir.  A SND, por sua vez, destaca que as chances de vendas estão nos PCs corporativos. “A revenda pode vender os desktops e também fazer o crosseling com outros produtos complementares, como garantia estendida, periféricos, software e serviços, agregando valor na sua venda, aumentando o ticket médio e consequentemente deixando seus clientes felizes porque está entregando uma solução completa”, diz Cristina.  Vale destacar que as revendas devem conhecer amplamente o lineup das companhias. Como consultores de confiança dos clientes, os canais precisam identificar qual a solução ideal para melhorar a experiência de uso dos clientes. Preparação para ampliar as vendas ao longo do ano Como a principal força de vendas do segmento, o canal precisa conhecer amplamente as tendências e os portfólios das companhias para adquirir know how na hora da venda e oferecer o produto mais adequado para o cliente. “A Intel conta com o programa global Technology Provider, que oferece informações, treinamento e ferramentas necessárias para preparar os parceiros. Os inscritos podem ainda utilizar o Intel Partner Marketing Studio, um assistente de marketing virtual que auxilia no aprimoramento de estratégias de venda, com materiais personalizáveis e até campanhas prontas. A iniciativa oferece um sistema de pontos baseados na qualificação de compras dos produtos da marca.  Os pontos podem ser gastos em uma variedade de recompensas que podem auxiliar na construção do negócio. Os pontos se transformam em componentes e sistemas, além de vouchers eletrônicos, que podem ser utilizados em uma ampla gama de produtos com tecnologia Intel”, afirma Rodrigues, da Intel.  Sakuma da Lenovo acredita que é fundamental investir em especialização para manter o crescimento, respeitando a capacidade e a realidade de cada empresa. “A empresa aconselha a constante atualização com participação em workshops, eventos dentro da área de TI e junto à Lenovo. Dessa forma, é possível definir estratégias para atuar assertivamente junto aos clientes. Além disso, através do programa de parceiros Lenovo Partner Engage – LPE, as revendas têm acesso a uma estrutura de suporte completa para entregar uma boa experiência aos clientes. Oferecemos suporte de Serviços completos de implementação de soluções e suporte técnico e temos pacotes de soluções para todas e quaisquer necessidades, alinhados com as melhores ofertas existentes no mercado”, agrega o executivo.  Para a HP Inc é muito importante capacitar os parceiros e fazê-los evoluir na parceria com a fabricante. “É uma troca que gera benefícios para os dois lados e para o mercado como um todo. Nós criamos o HP Partner First, um programa que fornece insights e ferramentas aos canais que precisam para crescer e ganhar mais espaço no mercado. Dentro do programa, nossos parceiros exploram os negócios vinculados à venda de volumes, integração de sistemas globais e soluções especializadas. O que colabora para que nossos parceiros aumentem o sucesso das vendas, explorando suas áreas de especialização e necessidades dos clientes”, avalia Ortolani.  Os canais da Dell contam com uma plataforma de treinamentos e especialização em produtos e soluções que permitem que atendam empresas de todos os portes. “As maiores oportunidades estão em projetos que envolvam uma solução completa para o cliente, permitindo que ele alcance seus objetivos de negócios com o auxílio da tecnologia. Ao trabalhar como um braço consultivo de TI para seus clientes, o canal conseguirá entender a real necessidade do cliente e transformar uma oferta de produtos e soluções em resultados tangíveis de ganhos de produtividade e segurança do ambiente da TI Corporativa. Para obter sucesso, é importante que a revenda compreenda a necessidade de cada usuário para conseguir customizar uma solução completa de PC, acessórios, soluções e serviços com potencial para transformar positivamente a experiência desse cliente”, diz Carolina.  Em síntese, a venda de desktops e notebooks exige preparação e conhecimento do mercado. Os consumidores sejam domésticos ou corporativos procuram por dispositivos inteligentes que possam melhorar a experiência de uso e agregar valor às tarefas do dia a dia.