Especial Projetores
Segundo a PMA Research, referência internacional nos segmentos de displays e projetores, sediada na Califórnia, o crescimento na venda de unidades de projetores mundial ultrapassou mais de 39% e superou os números de DPF (Datashow retroprojetor) que aumentaram cerca de  12% no primeiro semestre de 2019   


Projetar uma imagem vai muito além de espetáculos, apresentações, conferências e shows para um grande público, isso sem falar nos filmes e eventos esportivos como a Copa do Mundo, Olimpíadas ou os Jogos Pan Americanos. A cada dia, exibir uma projeção faz parte do nosso dia a dia. Muitas empresas utilizam os aparelhos, por exemplo, para suas ações de marketing e treinamentos, além disso, nos shoppings observamos painéis e vitrines digitais que são colocados propositalmente para impressionar os clientes, além da utilização em sala de aula onde a tecnologia já faz parte da vida dos alunos.  Mas para ter êxito neste setor não há uma fórmula mágica, a revenda precisa conhecer quais os tipos de tecnologias disponíveis no mercado, identificando as vantagens e desvantagens de cada aparelho, para ter maior embasamento na hora da venda. 
Em geral, de acordo com a PMA, referência internacional nos segmentos de displays e projetores, os aparelhos são classificados em três categorias: alto brilho (acima de 5.000 lumens), mainstream (modelos de uso geral) e home entertainment (de uso residencial). Além de conhecer as soluções existentes no mercado é necessário observar quais são as tendências que norteiam o segmento. “O movimento do segmento é apostar fortemente em recursos digitais e físicos que aumentam a qualidade e intensidade das imagens e cores. Há muitas oportunidades no mercado de projetores no Brasil, novas tecnologias e produtos que atendem diferentes necessidades e com estratégias de preço bastante diversas. Investimos em parcerias sólidas com os principais players de modo a garantir que os clientes sejam atendidos e tenham suas necessidades solucionadas e superadas”, avalia Cristina Kira, gerente da Divisão Corporativa na SND, completando que cada vez mais o mercado corporativo aposta neste tipo de solução, sejam em empresas de pequeno, médio ou grande porte, a distribuidora tem produtos e acessórios adequados para qualquer tamanho de projeto. 

André Teixeira, gerente de Produtos da Acer, observa que há disponível no mercado, projetores com alta resolução e brilho há preços acessíveis.  “Essa dinâmica do setor estimula o consumidor a comprar um projetor para unir família e amigos em torno da tela grande. Portanto, os setores corporativos, educacionais e de arquitetura de varejo se beneficiarão também com produtos de fácil portabilidade, excelente resolução, soluções ainda mais adequadas às suas necessidades e preços altamente atrativos, principalmente se comparado à TVs de telas grandes, que ainda são muito caras no Brasil”, diz o executivo, completando que a linha da marca com as opções SVGA, XGA e WXGA Full HD já oferecem uma luminosidade maior que a disponível no mercado atualmente (3600 e 3700 Ansi Lumens). 

Na visão da Panasonic, o parceiro tem que ficar atento à substituição dos projetores obsoletos pelos atuais. “O Brasil apresenta um bom potencial nos próximos anos, por conta da troca de tecnologia dos produtos. Ao falar sobre tendências, sem dúvida a substituição dos modelos de lâmpada pelos a laser será a novidade. A tecnologia laser permite uma maior vida útil do produto, além de diminuir sensivelmente os custos de manutenção, pelo fato de não haver mais a troca de lâmpada “, agrega Sergio Constantino, gerente geral da fabricante. 

Já a Epson criou sua segmentação de projetores Laser Signage Solutions, que oferece soluções para aumentar a experiência do cliente no ponto de venda. “A Epson trabalha no desenvolvimento de projetores para diversos setores, como casa, empresas, instituições de ensino, varejo, restaurantes e bares. Ao todo, temos oito linhas: Home Cinema, Pro Cinema, BrightLink, BrightLink Pro, PowerLite, Pro G, Pro L e LightScene. Pelo potencial de inovação e transformação, acreditamos que a linha LightScene, no varejo, e BrightLink Pro, em instituições de ensino, tenham grande destaque nos próximos anos”, destaca Gerlinde Lesk, gerente de Produtos da companhia. 

A BenQ também aposta na tecnologia a laser que deve se consolidar pelos próximos três anos. “Hoje em dia o mercado de projetores contém vários segmentos como educacional, Home, interativos, auditórios, mobile, etc. Por esse motivo existem várias oportunidades de negócio, e para atender esses segmentos a BenQ possui um portfólio com 20 modelos diferentes, entre as novidades que pretendemos trazer nos próximos meses há  os projetores com alto brilho, além dos  com tecnologia a laser e projetores Smart”, conta Marcelo Café, country manager da companhia.   

Fique por dentro do portfólio de ponta das empresas

Definitivamente os projetores entraram no dia a dia de muitas pessoas, seja na empresa, na escola ou em casa. Junto a essa popularização, vieram também novas tecnologias como alta definição de imagem, reprodução em 3D, laser de lente fixa, imagem de curta distância, LED, entre outras que visam melhorar a experiência de uso. Constantemente são lançadas soluções e o canal precisa conhecer quais são os produtos que fazem parte do portfólio das empresas. “Atualmente, a Acer possui um portfólio bastante adaptado ao mercado brasileiro, onde grande parte do share de mercado é composto por produtos de resoluções SVGA e XGA, com boa luminosidade e opções de conexão. Estamos entrando também no mercado de resolução nativa WXGA Full HD, com preços muito atrativos”, pontua Teixeira, da Acer. 

O executivo destaca que a companhia conta com projetores de diferentes características. “Queremos trazer um excelente custo-benefício com o nosso portfólio, para ser utilizado em casa, assistir jogos e filmes, salas de reunião ou de aula Os produtos que vendemos atualmente são: Projetores Acer X1123H SVGA e X1223 XGA. 3600 Lumens VGA HDMI, lançamento do X1323 WXGA, Projetor Portátil Acer C200 200 Lumens HDMI e Projetor Gamer Predator Z650. Quem é gamer sabe que os detalhes fazem a diferença em uma partida disputada. Com o projetor Predator Z650, a batalha ganha contornos gigantescos e em alta resolução. Projete até 100” em apenas 1,5m de distância com a tecnologia Short-Throw, em uma resolução Full HD que não te deixa perder nenhum detalhe”, ressalta Teixeira, da Acer. 

Por sua vez, a Panasonic com foco no mercado corporativo e educacional, apresentou na Infocomm 2019 em Orlando a sua nova linha de projetores. “Temos aparelhos 3LCD laser de lente fixa (entre 4.500 lúmens e 6.000 lúmens) e de lente cambiável (entre 10.000 lúmens e 16.000 lúmens), que estão chegando ao mercado brasileiro até novembro, além do novo modelo 3LCD “pure LED” (3.500 lúmens), com previsão de chegada para o final do ano. No evento, apresentamos o novo projetor 1DLP 4K laser (10.000 lúmens e 7.500 lúmens) que está previsto para chegar entre outubro e dezembro, respectivamente”, ressalta Constantino. 

A BenQ traz novidades como os modelos  4K, curta distância e laser. “Os projetores com maior valor agregado exigem que a revenda faça a integração e por sua vez traz mais margem. É importante que o canal entenda a necessidade do cliente para depois oferecer o melhor produto. Hoje em dia a BenQ possui modelos que podem ser gerenciados remotamente se ligados à internet através de uma saída RJ45”, avalia Café. 

 Recentemente, a Epson lançou a linha de projetores LightScene no Brasil. “Desenvolvidos para projetar e iluminar conteúdos dinâmicos em praticamente qualquer superfície ou material, o LightScene EV-100 e o LightScene EV-105 são capazes de criar uma experiência criativa e diferente para mercados como varejo (lojas e vitrines), hotelaria, showrooms, cinemas, museus e eventos.  Com um design inovador em formato de spot de luz, estes projetores se adequam aos mais diversos tipos de ambiente”, afirma  Gerlinde, da Epson. 

Com três lançamentos à vista, a LG reforça que já está na hora do consumidor ter acesso à tecnologia de projetores de curta distância. “Temos lançamentos como: o Projetor CineBeam Smart TV que apresenta a tecnologia de imagem a curta distância, oferece imagem Full HD (1920 x 1080) de 60” a 11cm até 100” a 38cm de distância da parede. Já o  projetor LG CineBream TV HD 80 Wireless projeta uma tela de 80” a uma distância de apenas 33cm da parede ou tela de projeção. E por último, o modelo PH550 que possui tecnologia que permite espelhar a tela de uma smart TV ou tablet”, diz Leonardo Almeida, gerente da linha de produtos de IT da LG no Brasil. 

Quando o assunto é novidades, a SND destaca que trará uma série de inovações nos próximos meses. “Temos um portfólio sólido em projetores, com diferentes fabricantes, composto por modelos portáteis, corporativos, profissionais e os chamados “home e cinema”. Para dar alguns exemplos, os projetores Acer X1223H - XGA 1024x768 e X1123H - SVGA 800 x 600, ambos com Brilho de 3.600 ANSI Lumens, Contraste de 20.000:1, Projeção de 347” e vida útil da Lâmpada de 5.000 horas em modo normal. Outro exemplo é o projetor da fabricante BenQ, o projetor Full HD 3200 ANSI Lumens – TH683 que traz alta resolução e brilho de 3.200 ANSI Lumens, Contraste de 10.000:1 e é capaz de mostrar 1.07 bilhão de cores. E, outro exemplo, é o projetor portátil da LG, o projetor PF1000UW TV Smart FHD 1000 Lumens Cinema Portátil 100. Este projetor contempla um conversor interno de TV Digital, controle SmartMagic e 100” Full HD com projeção de 60” (11cm) até 100” (38cm). Dentro de nosso portfólio, temos uma variedade de opções de projetores, incluindo opções para o mercado corporativo”, afirma Cristina. 

Segmentos que trazem mais vendas para o ecossistema

Ao longo dos últimos anos, as companhias têm investido nas inovações do mercado tecnológico e não é diferente no setor de projetores, afinal inúmeras áreas tem adquirido os produtos de ponta disponíveis no mercado. “A melhor forma de agregar valor ao produto é a revenda consultiva, que indica ao cliente o produto mais adequado para ele de acordo com sua necessidade. Atualmente, os setores corporativo, educacional e SMB (Small Medium Business) são nossos principais consumidores”, conta Teixeira, da Acer. 

O executivo pontua que a Acer se orgulha em oferecer, entre outras soluções, alta luminosidade nos seus produtos de entrada. “Disponibilizamos uma excelente relação custo X benefício e produtos extremamente versáteis, pois quanto maior a luminosidade maior a quantidade de ambientes que o projetor pode ser usado”, diz Teixeira, enfatizando que a totalidade das vendas da marca são realizadas via canal de TI (distribuidoras e revendas), diz Teixeira, da Acer. 

Para a SND, os aparelhos de projeção podem ser oferecidos aos diversos setores de negócios. “Destaco alguns nichos como o setor educacional, tanto privado como governo, e o corporativo que tem crescido cada vez mais, e proporciona à revenda agregar outros itens ao pedido do cliente final com o objetivo de atender a totalidade do desejo dele como: computadores, roteadores, sistemas de conferência e comunicação por exemplo. Tendo a possibilidade de fazer um ‘’pacote’’ com todos os equipamentos necessários para a sala de reunião, e facilitar o pagamento através de soluções financeiras que a SND oferece como leasing HP e financiamento Santander”, pontua Cristina, da SND. 

Já a LG destaca que os projetores da marca têm como ponto forte a portabilidade. “Por essa razão enfatizamos esse aspecto na venda deste produto ao canal B2B por proporcionar flexibilidade com a utilização de um produto facilmente transportável ao local que a empresa precisa. Uma dica que oferecemos a quem revende o nosso produto para aumentar a lucratividade e o fato de nossos projetores possuírem lâmpadas de LED que possuem maior vida útil em relação aos projetores tradicionais”, conta Almeida, da LG. Vender projetores requer conhecimento acima de tudo Para vender os projetores, a revenda precisa entender qual a tecnologia embarcada nos aparelhos, para  adquirir maior conhecimento  conta com uma série de iniciativas das companhias, com é o caso da LG que disponibiliza o Clube LG. “No Clube há recompensas pela venda de produtos LG e um programa de treinamento customizado para as necessidades dos nossos parceiros, mas ambos estão disponíveis apenas para o canal”, explica Almeida. 

A Acer, por sua vez, tem como foco os  mercados corporativo, educacional e arquitetura de varejo. “A atuação do consultor é fundamental para que o cliente saiba exatamente qual o produto mais adequado para o tipo de uso e como estruturar um projeto eficiente e de alta qualidade na exposição e projeção de conteúdo. A Acer treina os canais de revenda e reforça as campanhas de comunicação e desenvolvimento da marca, criadas justamente para permitir que os consultores estejam aptos a identificar a necessidade do cliente e criar o projeto ideal para o consumidor”,  reforça Teixeira.   

A Panasonic reforça que o segmento corporativo tem apresentado boas oportunidades de negócios e os canais que tem obtido sucesso na comercialização são aqueles com a capacidade de integrar soluções, oferecendo ao cliente sistemas complementares de outras fabricantes. “Sempre que possível e necessário, atuamos junto aos canais e parceiros para atualização do nosso portfólio de produtos, além de fornecermos conhecimento técnico de nossas soluções”, ressalta Constantino. 

Na hora de capacitar a revenda, a Epson promove treinamentos, através das distribuidoras, disponibiliza o sistema de treinamento online (webinar). “Além disso, possuímos o programa Epson Stars, que oferece rebates e descontos para novas compras de produtos Epson, verbas de marketing cooperado e benefícios customizados, criados de forma personalizada para ajudar a impulsionar os negócios e trazer rentabilidade aos nossos parceiros. É dividido em quatro categorias, de acordo com o volume mensal e, para ser elegível aos benefícios, a revenda deve atingir o faturamento mensal da categoria”, conta Gerlinde. 

Enfim, para trazer bons resultados ao seu negócio, o canal deve se tornar um consultor de confiança  em todo o processo da venda, afinal o cliente necessita saber exatamente qual o produto mais adequado para o tipo de uso que deseja. O mercado brasileiro passa por um momento de amadurecimento em relação ao uso de projetores, então é preciso identificar as reais chances de negócios para sair na frente da concorrência.