Grandstream elabora soluções completas de voz, vídeo e dados para trabalhar com vários provedores de serviços na onda digital


Como principal executivo do Brasil da Grandstream Networks, empresa privada com sede em Boston, MA, EUA, com localizações regionais em Los Angeles, CA, Dallas, TX, China, Venezuela, Marrocos, Malásia, Espanha, Ucrânia, Israel e Colômbia,  Antonio Brum tem o desafio de firmar a marca no país.  Vale ressaltar que a empresa disponibiliza soluções para conexão no mundo como as  Comunicações Unificadas SIP (padrão aberto que oferece ampla interoperabilidade) permitindo que as empresas sejam mais produtivas. Seu portfólio atende aos mercados de pequenas e médias empresas e é reconhecido por sua qualidade, confiabilidade e inovação, afinal  possibilita a redução dos custos de comunicação, aumenta a proteção de segurança e a perfomance. 

A seguir, o bate-papo com o executivo que discorreu sobre as expectativas da companhia para 2020:

PS: O que tem a nos falar  sobre a sua posição de country manager da  Grandstream na era digital?

Antonio Brum: O nome da função é bonito e a descrição é abrangente, mas as responsabilidades e os deveres podem variar muito, dependendo da empresa e do país. É como se tivéssemos numa start up, sempre construindo uma base sólida para que possamos nos orgulhar junto com uma boa equipe. No caso do Brasil, o país tem um enorme potencial, mas também é muito desafiador. O aprendizado tem sido intenso, uma época de construir novas relações e trocar experiências. Temos que olhar para o mercado com os melhores olhos e vencer os desafios da melhor maneira possível para vencer a competição,  ter os produtos adequados à exigência do mercado atual e futuro, desenvolver negócios e todas as questões legais/fiscais/administrativas da empresa, bem como ter um bom relacionamento com clientes para que a marca possa crescer. 


PS: De que modo suas experiências profissionais anteriores o auxiliam na posição que ocupa na companhia?

AB: Estas experiências contribuíram imensamente para a minha posição atual. Já trabalho nesta área e na América Latina (Brasil) há mais de 25 anos. A cultura de um país tem muito  a ver com o modo de se fazer os negócios. Sempre tenho me adaptado a estas mudanças e criado outras que se encaixam dentro da cultura de negócios e vendas ao longo dos anos. Todas as experiências foram diferentes pela variação dos tipos de produtos e companhias.   

PS: O que o parceiro pode esperar da Grandstream em 2020?

AB: A Grandstream continuará lançando novos produtos durante o ano de 2020. Nossos canais podem contar com um portfólio renovado nos segmentos de Telefones IP e a nova terceira geração de equipamentos IP-PBX. Nos segmentos Wi-Fi e mobilidade, nosso portfólio dobrará de tamanho. Nossos parceiros terão muito mais ferramentas e produtos para alcançar um mercado cada vez maior no setor de comunicações unificadas. 

PS: Em relação a parceria com a WDC, quais serão as novidades neste ano?

AB: Teremos produtos de mobilidade com os novos telefones WiFi WP8xx com preços competitivos para o mercado brasileiro; a linha IP-Phone GRP26xx de nível de operadora, feito para companhias, cobrindo o segmento low-end, com segurança adicional, provisionamento de nuvem por GDMS e muito mais. Aumentaremos nossa presença nos canais multiplicando os eventos de certificação com nosso premiado dispositivo IP-PABX UCM.  


PS: Quais serão as prioridades da companhia?

AB: A Grandstream tem um foco específico para desenvolver nossos negócios em torno das necessidades de mobilidade dos mercados em diferentes setores. Por esse motivo, priorizamos nossas estratégias nos segmentos de telefones portáteis Wi-Fi, bem como nas redes IP-Wi-Fi. Juntas, essas tecnologias oferecerão uma solução muito forte para uma variedade de mercados verticais.

PS: Na sua opinião, quais são as tendências no mercado de UC, que a revenda precisa conhecer?

AB: Os mercados de UC estão crescendo nos dois lados do SoHo e de Enterprise. Nosso objetivo continua no mesmo caminho: disponibilizar as mais novas tecnologias para os mercados de pequenas e médias empresas. Isso significa que temos que oferecer soluções simples de implementar e muito competitivas em termos de preço, fornecendo os recursos que, no passado, apenas grandes empresas desfrutavam, como recursos de videoconferência, trabalhadores remotos conectados e comunicações altamente seguras. Tudo isso está disponível para PMEs e SOHO graças às nossas ofertas de soluções.

PS: Em uma entrevista recente, você mencionou que a companhia visa posicionar as soluções de UC (Comunicações Unificadas) da marca como a primeira escolha  no mercado PMEs,  de que modo a companhia pretende fazer essa ação?

AB: A Grandstream está em uma posição única entre o fornecedor de UC no espaço SIP (protocolo de iniciação de sessão). Criamos um portfólio focado em oferecer soluções, em vez de apenas uma oferta de apenas terminais. Hoje, os parceiros podem oferecer soluções  da marca para o mercado de pequenas e médias empresas com hardware completo fornecido pela companhia e, até o final do ano, esperamos expandir as possibilidades de uma oferta de marca única, não apenas no lado da comunicação unificada, mas que incluirá o UC e as redes IP também.  Com isso em mente, as revendas podem abordar seus clientes SMB com soluções amigáveis, técnica e financeira. No lado técnico, desde o primeiro contato com a Grandstream, promovemos a oferta de soluções ricas em recursos, mas fáceis de implementar, e cunhamos o termo all-in-one em vários de nossos produtos. No lado financeiro, estabelecemos uma meta de oferecer produtos sem licença (sem taxas mensais ou anuais), o que é um grande alívio para o canal e seus clientes para entender a realidade do investimento em que estão engajados. 

PS: Qual a análise do impacto da transformação digital (dx) no setor de Comunicações Unificadas?

AB: Em nossa opinião, as maiores mudanças na mais recente transformação digital são a mobilidade do trabalhador e o sistema totalmente conectado.

PS: Qual o papel do canal para a Grandstream?

AB: O canal é nosso principal cliente. Mantemos contato constante com nossos parceiros, porque eles são a linha de comunicação com o usuário final. Somente o canal Integradora/revenda, pode nos fornecer informações precisas sobre o que o usuário final - governo, educação, saúde, telecomunicações, SMB, etc., procura nos próximos anos. Esta comunicação constante nos permite ajustar a direção que estamos seguindo. 

PS: De que forma o parceiro pode melhorar sua performance para atender a demanda dos clientes?

AB: Na maioria dos casos, nossos parceiros são revendas / integradoras de valor agregado que são muito experientes, com amplo conhecimento sobre uma variedade de tecnologias. Nossos parceiros obtêm uma vantagem importante contra seus concorrentes quando cobrem todo o nosso portfólio. Ao fazer isso, eles podem oferecer qualquer coisa, desde uma solução básica de telefonia a uma pequena empresa, a implementação de serviços profissionais de videoconferência fora da nuvem, a criação de redes Wi-Fi robustas, a integração do controle de acesso à infraestrutura IP e muito mais. Ao ficarem atentos às nossas comunicações diárias, eles podem expandir sua gama de serviços para seus clientes.  

PS: Como a Grandstream tem preparado o canal para ter êxito nos negócios no setor de UC em plena transformação digital (dx)?

AB: Nossa visão para a UC e a transformação digital compreende claramente a transição das premissas para as soluções baseadas na nuvem, do escritório para os funcionários remotos e dos estacionários fixos para os móveis. Em todas essas frentes, a Grandstream trabalha em soluções completas ou em terminais altamente competitivos em voz, vídeo e dados para trabalhar com vários provedores de serviços – tanto os operadores históricos quanto toda uma nova geração de fornecedores da era da nuvem.  

PS: Como são realizados os treinamentos e certificações com os canais?

AB: Nossos eventos de treinamento e certificação estão disponíveis em diferentes categorias e com o objetivo de abranger o maior número possível de territórios no Brasil. Temos nossos próprios engenheiros da Grandstream no local, à frente de nossos parceiros e canais, mas, de maneira simultânea, nossos parceiros, como a WDC, têm pessoal qualificado para treinar e dar suporte às necessidades diárias dos canais e do usuário final em alguns casos.


PS: Quais os benefícios para as revendas que trabalham com a empresa?

AB: Nossos programas de canais abrangem os benefícios tanto na área comercial quanto técnica. Nosso portal PartnerConnect oferece um local centralizado para acessar os ativos/recursos de marketing ao suporte técnico prioritário. A Grandstream mantém uma equipe de suporte regional para a LATAM com mais de 12 engenheiros que auxiliam nossas revendas diariamente. Trabalhamos junto com a WDC no suporte à nossos canais em projetos.