KPMG: fusões e aquisições batem novo recorde em 2019

De acordo com levantamento exclusivo realizado pela KPMG, registrou-se em 2019 o novo recorde de fusões e aquisições no Brasil, com 1.231 transações concretizadas. O número representa crescimento de 27,3% em comparação com 2018, quando foram realizadas 967. Pela terceira vez consecutiva essas operações quebram recordes, considerando 830 em 2017. 

Um dos fatores que contribuíram para os resultados no ano passado foi o aumento considerável nas transações domésticas, que saltaram de 550 em 2018 para 782 em 2019. Trata-se de um crescimento de 42,2%. As aquisições pelas empresas estrangeiras também apresentaram expansão relevante, de 19%, totalizando 374 transações em comparação às 315 de 2018. Estas operações apresentaram forte aceleração no segundo semestre, quando foram concretizadas 223, ante 151 do primeiro semestre. 

“As empresas brasileiras têm apresentado mais apetite para implementar seus planos de expansão no País, com investimentos de longo prazo, no caso específico, por meio de aquisições. Os dados sinalizam que o Brasil passou a ter maior relevância na rota dos investidores estrangeiros a partir deste ano. Ademais, as informações levantadas na pesquisa podem ser interpretadas como uma consequência da melhoria gradativa da economia nacional. O terceiro recorde consecutivo de fusões e aquisições, com destaque para as transações domésticas, mostram um impacto direto nos negócios da confiança dos empresários. Outro ponto de destaque que devemos observar é que, novamente, as empresas ligadas à inovação e tecnologia continuam realizando muitas operações”, analisa o sócio-líder da área de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil, Luís Motta. 

Segundo o levantamento realizado em 2019, o setor de empresas de internet manteve a liderança, saltando de 169 operações em 2018 para 293 em 2019, uma alta de 73%, seguida pelos setores de tecnologia da informação (158), hospitais e laboratórios de análises clinicas (87), segmento imobiliário (77), outros setores (72), alimentos, bebidas e fumo (52) e companhias de energia (51). 

“Muitas empresas nacionais e estrangeiras têm adotado fusões e aquisições como estratégia de crescimento e fortalecimento dos seus negócios no Brasil. Outra questão que se apresenta de maneira relevante é o investimento em inovação de modelos de negócios tradicionais, por meio de investimento dos fundos de venture capital, em empresas de internet e de tecnologia”, completa o sócio da KPMG. 

Com relação à questão geográfica, as regiões Sudeste e Sul do Brasil foram as que mais se destacaram, com as respectivas operações de fusões e aquisições em cada Estado destacadas a seguir: São Paulo, 750; Rio de Janeiro, 119; Paraná, 73; Minas Gerais, 60; Rio Grande do Sul, 53; e Santa Catarina, 44.