Pesquisas recentes da Frost & Sullivan indicam que existem cerca de 32 milhões de salas de reunião em todo o mundo, ou seja, 75% delas são usadas por 3 a 4 pessoas por vez e  apenas 4% destas estão equipadas com soluções de videoconferência adequadas, o que indica um universo imenso de oportunidades de negócios no setor.

Desde março quando foi decretada a pandemia de Covid-19, empresas do mundo todo estão se adaptando a um novo normal, ou seja, uma nova realidade de trabalho fazendo do home office a prática adotada em massa pelas companhias. No Brasil não é diferente, as empresas têm mantido os seus colaboradores em casa para garantir a saúde das equipes e contribuir com o isolamento social, na falta de uma vacina e medicamento eficaz contra o coronoavírus. Mas e as reuniões corporativas que são fundamentais para as corporações independente do seu porte, como ficaram?

Esse questionamento nos faz analisar que sem a possibilidade de atender os clientes presencialmente, realizar treinamentos com os profissionais, empresas de todo o país aderiram às videoconferências, nesse momento, a maioria dos serviços são ofertados, através do ambiente virtual o que fez disparar a procura por soluções de videoconferência e ferramentas de colaboração e comunicação. “A crise gerada pela pandemia do Covid-19 resultou em milhões de funcionários na América Latina realizando trabalho remoto em suas casas. Isso levou a uma adoção maciça de ferramentas de colaboração de comunicação e visual de vários fornecedores, como Cisco Webex, Zoom, Avaya, Microsoft, Pexip, StarLeaf, etc. Embora boa parte desse uso seja viabilizado por versões gratuitas dos aplicativos, essa situação lança as bases para fortes oportunidades de crescimento pós-crise, uma vez que as empresas conseguiram testar os benefícios dessas ferramentas, como maior produtividade de funcionários, maior agilidade dos negócios, melhoria da experiência dos colaboradores na promoção de trabalho em equipe e de inovação na organização. Da mesma forma, o uso de dispositivos de videoconferência para salas pequenas ou huddle está aumentando sua demanda, devido à necessidade das empresas de melhorar a experiência de colaboração, por meio de áudio e vídeo de alta definição”, pontua Sebastian Menutti, especializado em Industry Principal - Trabalho Conectado da Frost & Sullivan.

Vantagens competitivas para os canais durante a pandemia de Covid-19

Estamos vivenciando o novo normal que é repetido exaustivamente nos debates do dia a dia devido o impacto do coronavírus na sociedade que tem trazido inúmeras transformações, e muitas oportunidades para as revendas que estão atentas as movimentações do mercado na área de comunicação e colaboração, vale destacar que segundo pesquisa da Frost & Sullivan, o Brasil responde por 36,5% do mercado de serviços de conferência na América Latina. “O uso crescente das ferramentas de Colaboração Visual e dos dispositivos de videoconferência está intimamente relacionado às mudanças que estão ocorrendo no espaço de trabalho juntamente com as mudanças na maneira como trabalhamos. Cada vez mais, o trabalho está deixando de ser algo que fazemos das 9h às 18h em um determinado espaço, para se tornar uma série de atividades que realizamos em vários locais (físicos ou virtuais). O teletrabalho ou trabalho remoto é o primeiro e mais visível sintoma desse fenômeno.

Da mesma forma, um fator de relevância vital para a mudança de emprego é a demografia dos próprios trabalhadores. A importância dos Millennials (nascidos entre 1981 e 1996) e da Geração Z (nascidos após 1996) está aumentando e espera-se que até 2020 eles representem mais da metade da força de trabalho global e 70% dela até 2025. Essas novas gerações de trabalhadores esperam usar ferramentas avançadas de colaboração, uma vez que essa mentalidade já foi formada a partir do uso de ferramentas mais básicas e similares em suas vidas diárias, como WhatsApp e Skype”, observa Menutti, da Frost Sullivan.

Para a Microsoft a mudança repentina e global para o trabalho remoto traz uma mudança comportamental que se entende também para as  formas de estudo e  de relacionamentos em geral. “Empresas, pessoas e organizações estão se adaptando para incorporar a comunicação à distância em suas atividades. Embora já fosse um recurso muito utilizado, quase da noite para o dia, a videoconferência se tornou uma parte muito importante de nossas vidas e empregos.  Não tenho dúvida de que essa movimentação deixará um legado muito importante para o momento que superarmos essa pandemia”, agrega Mariana Hatsumura, diretora de Ambiente de Trabalho Moderno da Microsoft. 

Por sua vez, Marcelo Murad, diretor de Produtos e Engenharia da Westcon, destaca que o setor de videoconferência tem passado nos últimos anos por inúmeras transformações. “A videoconferência era inicialmente apenas salas fixas e bonitas, muitas vezes bastante caras, o que inviabilizava essa solução para empresas menores. Isso está mudando, deslocando a solução para o usuário, que tem câmeras com preços acessíveis, conseguindo assim incluir soluções de áudio para uma melhor experiência, e, assim, ter um ambiente remoto muito mais próximo da realidade de uma conversa presencial. A Westcon atua com diversas fabricantes para soluções de VC, como Logitech e Poly, e, para áudio ainda temos a Jabra”,  ressalta o executivo.

Guilherme Faccio, Marketing Manager Brasil da Corsair, ressalta que este momento traz desafios para toda a sociedade, especialmente para as empresas que tiveram que aderir do dia para a noite ao trabalho remoto. “Com as pessoas precisando ter mais cuidado com a saúde, ficando em casa, as soluções de videoconferências se tornaram fundamentais. Nossas soluções para as reuniões remotas estão focadas em peças para hardware (PCs) e periféricos (headset, teclado, mouse e mousepad), onde a busca vem aumentado nos últimos meses. Neste momento, a Corsair tem priorizado em seu portfólio os headsets que facilitam  a comunicação durante as videoconferências e trazem a  clareza na voz.  Um dos destaques é nosso headset Premium,  o Virtuoso RGB Wireless que oferece um áudio de alta fidelidade e conforto durante um dia inteiro e conectividade ultrarrápida com a tecnologia SLIPSTREAM WIRELESS”, diz o executivo.

Já a Grandstream que tem a WDC Networks como uma das suas principais distribuidoras já adota uma estratégia pós-Covid e tem investido fortemente em aplicativos de trabalho remoto, software, hardware e firmware em todos os modelos de soluções que se adaptam ao trabalho remoto. “A Grandstream é bem conhecida por seu terminal de voz sem fio para mobilidade no escritório e pelos terminais de videoconferência de sala da série GVC, que funcionam em sistemas corporativos de UC, ou, junto com nossa premiada colaboração remota o IPVideoTalk (que é uma plataforma de reunião e colaboração na Web que permite às organizações realizarem reuniões, classes e sessões remotas que podem ser assistidas em praticamente qualquer dispositivo, incluindo PC, Mac e Android, com o aplicativo IPVideoTalk gratuito). Sob a nova realidade, vimos um aumento na demanda por hardware e serviços, abordando os trabalhadores remotos e a colaboração remota; portanto, em resposta, estamos ajustando nossa oferta e estratégia de curto prazo para oferecer mais dispositivos de voz móveis, vários novos terminais da série GVC e, no início de abril, apresentamos  uma revisão geral dos serviços da Web no serviço em nuvem IPVideoTalk”, conta Antonio Brum, country manager da Grandstream.

Para a Logitech, de modo geral, muitas empresas no mundo todo não tinham um plano de trabalho remoto, colaboração ou acesso remoto. “A videoconferência e o conceito de equipes colaborativas saiu imediatamente da condição de uma opção para alguns ou privilégio para poucos para se transformar numa necessidade imediata, emergencial e única para todos nas empresas.  A área de videoconferência da Logitech já estava em pleno crescimento no Brasil e hoje é mundialmente uma das divisões de maior investimentos e recursos da companhia. Sempre estivemos na vanguarda na oferta de soluções acessíveis para esse mercado e os principais fatores de atração para nossas soluções são a inovação e modernidade das soluções, feitas sob medida para atender à compatibilidade dos principais softwares de videoconferência na nuvem do mercado com conexão simples via USB. A Logitech tem soluções com design arrojado, simplicidade de uso e com custo X benefício surpreendente, além de qualidade tecnológica de última geração que vão desde WebCams e Headsets para Home Office até sistema completos para salas de reuniões pequenas, médias, grandes, boardrooms e até auditórios”, pontua Paulo Cardoso, Head of Video Collaboration da Logitech.

 João Aguiar, Systems Engineering Manager, CALA da Poly, companhia formada da união da Plantronics e da Polycom, duas líderes em soluções para Comunicação e Colaboração Unificadas (UC&C), ressalta que o  momento traz um novo cenário ao mercado fazendo com que as empresas identifiquem quais soluções são mais aderentes aos seus negócios. “A flexibilidade em adotar a melhor solução para cada ambiente ou aplicação é algo que está no DNA da Poly, pois sempre temos como objetivo entregar soluções que confiram facilidade de uso, segurança e gerenciamento, independentemente da solução, dispositivo ou meio, voz ou vídeo. É muito claro que o cliente não pode ter limitantes nesta seleção e um parceiro que abrace  diferentes ecossistemas é fundamental. A Poly visa ser reconhecida pelo mercado por seu alto nível de confiabilidade. E tem como empresas parceiras: Microsoft, Zoom, BlueJeans, Google e LogMeIn”, afirma o executivo.

Já a Shure reforça que o setor de videoconferência já é uma realidade no Brasil. “Antes do Covid, essa poderosa ferramenta era uma prática majoritariamente de grandes empresas.  Agora, esse modo de trabalho é uma realidade destinada  à todas as empresas de pequeno, médio e grande porte.  Somos uma empresa com 95 anos de história em soluções para captação de áudio e nos últimos anos temos investido muito em soluções voltadas ao mercado corporativo e já temos produtos sendo utilizado em grandes empresas, em diferentes aplicações, que nos leva a estarmos prontos para essa nova descoberta das reuniões remotas”, diz Alexandre Medeiros, gerente de Vendas da empresa, completando que a empresa tem duas linhas de microfones: a  MXA, uma linha de microfones com alta tecnologia e que traz uma solução completa ao áudio de uma sala de reunião e  a  Motiv, que traz praticidade, qualidade profissional e excelente custo X benefício.

Muito além das soluções de comunicação e colaboração

Nesta nova fase, as empresas especializadas têm ofertado portfólios completos de produtos, soluções e plataformas em cloud que visam melhorar a experiência dos clientes em suas reuniões remotas. “A Cisco está comprometida com seus clientes, parceiros, Governo e sociedade durante este difícil momento. A luta contra a pandemia de Covid-19 é um tremendo desafio, mas acreditamos que unindo esforços de todos os setores e segmentos da sociedade, certamente conseguiremos superar e sair mais fortalecidos desta experiência. Uma das nossas primeiras iniciativas para colocar os clientes e governos em operação rapidamente foi disponibilizar nossa plataforma de colaboração baseada em nuvem chamada Cisco Webex. Ela foi oferecida gratuitamente para todo o mundo sem restrição de tempo de uso, incluindo o Brasil. Nossa prioridade é facilitar a comunicação segura das pessoas em suas atividades diárias pessoais ou profissionais de qualquer lugar, a qualquer momento e através de qualquer dispositivo”, afirma Marcelo Ehalt, diretor de Canais da Cisco.

Rafael Gonçalves, Líder de Canais da Avaya, ressalta que as videoconferências ganharam destaque, por reduzirem custos e aumentarem a produtividade além de criarem um ambiente semelhante ao de uma reunião presencial. “Hoje, suportamos os clientes com soluções para agentes remotos e também telefonia administrativa por meio de softphones (um softphone é um programa de software para fazer chamadas telefônicas pela Internet usando um computador de uso geral em vez de hardware dedicado) e telefones físicos para que todos possam trabalhar em suas casas de maneira produtiva e segura. O Avaya Space é uma oferta que vem se destacando muito, pois é fácil de usar, de baixo investimento e comercializado por meio de assinatura mensal”, conta o executivo.

A Microsoft oferta a plataforma unificada de comunicação e colaboração, o Microsoft Teams, que reúne recursos para bate-papo, videoconferências, armazenamento e colaboração em arquivos, e é naturalmente integrada às soluções do pacote Microsoft 365.  “Para usar o Microsoft Teams, o consumidor precisa de uma conta do Microsoft 365 com o plano de licença apropriado, que pode ser adquirido diretamente na Microsoft.com ou, no caso de empresas, por meio do canal de parceiros da companhia. Atualmente, a empresa trabalha com 25 mil parceiros no Brasil. Para garantir que todos tenham acesso à ferramenta durante esses momentos difíceis, a Microsoft está oferecendo uma avaliação gratuita de seis meses”, afirma Mariana, da Microsoft.

Videoconferência não é algo novo no Brasil, mas até pouco tempo o seu uso estava restrito aos escritórios, com reuniões ponto-a-ponto como se fosse uma áudio-conferência com a adição de vídeo esta é a visão da TeamViewer. “As soluções se tornaram mais acessíveis e o software é hoje o ponto central da videoconferência. Médias e pequenas empresas passaram a adotar as reuniões online – usufruindo também do ganho em produtividade e da redução de custos que tais tecnologias promovem e que antes estavam disponíveis apenas para os grandes players. Hoje, o nosso carro-chefe, o produto mais conhecido e comercializado é o TeamViewer. Nele, o acesso remoto e a reunião online estão unificados. Esse é o nosso produto clássico. No entanto, nos últimos anos a TeamViewer vem investindo fortemente em inovação e soluções de conectividade remota com foco em aumento da produtividade – porque entendemos que ao eliminar as distâncias automaticamente diminuímos o tempo em que os profissionais gastam para resolver um problema ou um desafio mais urgente. Com a redução do tempo vem a redução de custos – uma dobradinha extremamente atraente para as empresas e para as equipes. É a máxima “Tempo é Dinheiro”, que exemplifica bem essa equação”, avalia Gabriel Tosto,  Head de Canais e Vendas da TeamViewer América Latina.

Sandra Fantoni, diretora de Produtos e Marketing da Agis, pontua que a distribuidora trabalha ativamente no apoio aos seus clientes e parceiros. “Estamos trabalhando para atender nossos clientes em todas as suas demandas. Em virtude da atual situação, tivemos um aumento significativo da procura por soluções de Videoconferência, Notebooks, Desktops, Servidores, Imagem, entre outros.  Disponibilizamos as soluções da Logitech e Lenovo. Temos em nosso portfólio desde soluções individuais que garante qualidade de áudio e vídeo para aqueles que trabalham remotamente, até soluções para grandes salas corporativas, além de possuirmos todo ecossistema de produtos para atendimento ao canal”, destaca a executiva.

O Grupo Rio Branco que tem como braço de tecnologia e entretenimento a marca Dazz,  possui uma gama de produtos com mais de 500 acessórios como mouse, teclado, mousepad, headset, webcam, case de hdd, hub USB entre outros. “Neste momento toda categoria de periféricos vem com ótima performance, mas alguns produtos como webcam, headset e hub USB vem com um nível de vendas muito acima da sua média normal.  Acreditamos que mesmo após a pandemia esse setor deve continuar em alta, muitas empresas vão adotar o home office como forma de reduzir o custo operacional fixo com espaço e ou até mesmo como forma de proporcionar uma melhor qualidade de vida a seus colaboradores, portanto acreditamos que em todo lar deve ter um ambiente reservado para trabalho com tudo aquilo que é preciso para reuniões corporativas e um trabalho eficiente de casa”, diz Antonio Nascimento, gerente de Produtos do Grupo Rio Branco.

Quem também vê como tendência o trabalho remoto pós-pandemia é a Multilaser que avalia que a curva ascendente de vendas das soluções de videoconferências da marca nas últimas semanas aumentou significativamente. “O produto mais procurado de todos foi a webcam, um crescimento acima de 500%. Outros produtos para home office como headsets, mouses e teclados também tiveram um aumento expressivo no ecommerce. Acreditamos que essa nova realidade com grande número de pessoas trabalhando de casa deve continuar mesmo após a crise então já estamos verificando a expansão de produtos com esse perfil para o segundo semestre”, diz Danilo Angi Luiz, gerente de Produtos da Multilaser, completando que as  soluções hoje em termos de software são bem democráticas, a maioria delas sem custo como hangouts, zoom, Skype, etc. Para utilizar da melhor forma esses recursos o usuário precisa adquirir uma boa câmera, um bom microfone e um bom alto falante, é possível ter tudo isso em um único produto, como é possível adquiri-los separadamente, depende da necessidade de cada usuário.

No entanto, Tiago de Melo Ribeiro, gerente da Unidade de Comunicação da Intelbras, destaca que a companhia lançou uma linha de áudio e videoconferência no  final do ano passado que tem atendido a demanda atual. “Temos dois produtos: o CAP 100 USB, que é um aparelho de audioconferência portátil que pode ser utilizado em reuniões à distância através do USB ligado ao computador. Voltado a pequenas e médias empresas, coaches, coworkings, profissionais autônomos que se comunicam com clientes de forma remota, como arquitetos, designers, professores de idiomas ou psicólogos. O CAP 100 USB é compatível com Skype, Zoom, Microsof Teams e outras plataformas, o que o torna interoperável, e o EVC 300 USB que é uma solução completa de videoconferência, pois possui microfone, áudio, vídeo, tudo em alta qualidade e definição. Com câmera de 1080p, transmite imagens em ótima qualidade e permite ajustar a posição da câmera para que o profissional tenha o melhor ângulo da reunião”, conta o executivo.

Vera Thomaz, diretora comercial da Unentel Distribuição, agrega que nesse momento a procura maior pelos clientes tem sido por soluções de voz, como headsets e speakers e soluções de vídeo – desde webcams até sistemas completos de vídeo conferência.  “Nessa realidade crescente de trabalho remoto, a procura massiva são para produtos sem complexidade de instalação (UBS – plug& play) e utilização; uma vez que as equipes de suporte das empresas também estão remotas e é o próprio usuário quem vai instalar, configurar e utilizar os devices. Distribuímos as maiores marcas de soluções de vídeo conferência: Poly e Logitech, ofertando ao Mercado Brasileiro, o completo portfólio dessas fábricas, através de nossos canais.  Além disso, ofertar soluções totalmente compatíveis às principais plataformas de comunicação e colaboração como Microsoft Teams, Skype for Business, Zoom, Circuitetc; é um diferencial dos produtos disponibilizados pela Unentel”, agrega a executiva.

Iniciativas para preparar os parceiros em suas vendas

Nos últimos meses, o perfil da revenda mudou, estamos em um período onde os projetos de maior valor agregado deram lugar para as  vendas pulverizadas, de valores menores, acessíveis aos orçamentos das empresas e isso faz com que o canal tenha que conhecer os produtos, soluções e plataformas que estão disponíveis no mercado,  para aumentar suas vendas. “O canal deve conhecer e disponibilizar um amplo portfólio de soluções para atender as necessidades dos clientes, pensando nisso a Grandstream oferece o seu programa de canais, o maior benefício para os parceiros é a possibilidade de oferecer um conjunto completo de soluções de UC (comunicação unificada), não se limitando apenas a videoconferência”, afirma Antonio Brum, da Grandstream.

Cardoso, da Logitech, aponta que as palavras chaves para os canais que desejam trabalhar no setor  são: “Capacitação” e “Antecipação”. “Buscamos sempre capacitar os nossos canais de acordo com as últimas tendências em termos de tecnologia, principalmente no que diz respeito aos nossos produtos. No ano passado lançamos no Brasil o Programa de Canais personalizado e desenvolvido para a área de Video Colaboração. Voltado para revendas e integradoras  de soluções Logitech de video colaboração, Especialistas em Audio/Vídeo e até mesmo para empresas de Engenharia e Arquitetura de ambientes corporativos”, conta o executivo, completando que os parceiros são divididos nas categorias Platinum, Gold e Silver, de acordo com as metas e capacitação da equipe.

A Poly acaba de lançar seu programa unificado de parceiros. “O programa capacita o canal parceiro em todo o portfólio de soluções da Poly, impulsiona e valoriza ações que promovam soluções aos seus clientes e dá acesso à ferramentas exclusivas de diferencial, incluindo webinars, discussões com as equipes de vendas e engenharia, atendimento exclusivo pela equipe de gerência de canais e soluções e suporte para provas de conceito (demo), entre outros”, ressalta Aguiar, da Poly, completando que há mais de 10 anos, a companhia disponibiliza um moderno e completo Experience Center com mais de 500m² para experimentação de todas as  soluções de áudio, vídeo, telefonia e soluções na nuvem da marca.

Enfim a palavra adaptação faz todo o sentido agora diante do novo normal. Com a aceleração do uso das novas tecnologias avançamos muito na onda digital, e as empresas se reinventaram em seus processos de atendimento, na forma de vender e em suas rotinas de trabalho o que fará com que no período pós-crise o mercado todo saia ganhando.